suspensão por doping

O drama de Pedro Ken

Suspenso preventivamente por uso de substância proibida, atleta é amparado pelo Ceará, e departamento jurídico do clube crê em contaminação de suplemento

Atleta concedeu entrevista coletiva bastante abatido ( Foto: Reinaldo Jorge )
00:00 · 09.05.2018 por Vladimir Marques - Repórter

Um relatório da ABCD (Autoridade Brasileira do Controle de Dopagem), atualizado ontem pela manhã, informou a suspensão preventiva do volante Pedro Ken, do Ceará, por uso de substância proibida (Anastrozole), em coleta após a partida entre Ceará e Santa Cruz pela Série B de 2017, no dia 26 de setembro.

Com a atualização da informação e o vazamento do relatório, o Ceará convocou uma entrevista coletiva horas depois na presença do jogador, do diretor jurídico do clube, Jamílson Veras e de Henrique Bastos, um dos médicos do clube, para esclarecer a situação do jogador, que está ausente dos gramados desde fevereiro tratando de dores no quadril. O jogador já estava suspenso preventivamente desde fevereiro e no dia 4 de maio foi informado da confirmação desta suspensão, mas pelos termos de confidencialidade, a decisão não poderia ser divulgada.

> Ceará com força máxima ante o CRB

O departamento jurídico do clube aguarda a publicação do acórdão, ou seja, a decisão final proferida sobre o processo, para divulgar a liberação do jogador para jogar futebol ou recorrer da decisão em caso de negativa.

Enquanto isso, Pedro Ken teve o contrato com o Ceará suspenso - como é previsto em casos de suspensões por doping - e sem receber salários, está impossibilitado de treinar no clube e como também utilizar as dependências do Alvinegro. Por isso, Ken tem tratado da sua lesão no quadril em uma clínica particular em Fortaleza, assim como treinado fisicamente por conta própria.

O primeiro a se pronunciar, Pedro Ken alegou inocência, acreditando em contaminação de um suplemento manipulado que tomou por conta própria.

"Este é o momento mais difícil da minha carreira e da minha vida tirando o falecimento do meu pai. Para esclarecer toda situação, no jogo com o Santa Cruz pela Série B, indicou uma substância que não estava dentro daquela dos suplementos alimentares que eu tomava, uma quantidade baixíssima. A minha vida inteira tomei suplementos manipulados e nunca havia acontecido nada. Sou inocente. O julgamento, acabou reconhecendo a contaminação e achou que não fui cuidadoso suficiente em deixar um recipiente fechado de todos os produtos que eu consumia ou por não ter procurado uma farmácia exclusiva para atletas de alto rendimento. Nunca imaginei isso", explicou ele.

Em seguida, Ken afirmou estar confiante em uma absolvição e agradeceu ao Ceará pelo apoio. "Estou confiante na absolvição. Queria agradecer ao Ceará, que tem me apoiado bastante nesse momento difícil da minha vida. Sempre fui reconhecido pela minha conduta, profissionalismo e caráter até mais do que meu próprio talento. Foi uma surpresa muito grande, o momento é complicado, mas e espero que as coisas possam se resolver da melhor forma e poder ajudar o Ceará como sempre fiz".

Defesa

O advogado do Ceará, Jamílson Veras, espera que a decisão do acórdão seja breve e garante que o clube não corre risco de punição caso quem seja apenado.

"O Ceará confia na inocência do atleta, dada a baixíssima quantidade encontrada na amostras A e B coletadas. Esperamos a absolvição do atleta ou na redução da pena eventualmente aplicada. O interesse do clube, que não corre risco algum de ser punido, é que seja uma decisão rápida e definitiva", disse.

Linha do tempo

Setembro de 2017

Pedro Ken caiu no exame antidoping em jogo do Ceará contra o Santa Cruz pela Série B no dia 26 e a coleta indicaria a substância proibida (Anastrozole)

Fevereiro de 2018

Pedro Ken faria seu último jogo pelo Vovô, na vitória por 2 a 0 contra o Fortaleza pelo Campeonato Cearense. Dias depois o clube e o atleta foram notificados da suspensão e ele não atuou mais

Marco de 2018

Pedro Ken começa a tratar de dores no quadril, diagnosticadas ainda no ano passado. O tratamento seria feito apenas no período da Copa do Mundo, em junho, mas com a suspensão preventiva do jogador, o protocolo foi antecipado.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.