novos protestos

Jogadores reclamam de "clima pesado" no Flamengo

00:00 · 28.04.2018
Image-0-Artigo-2393774-1
Os torcedores atiraram cascas de banana e pipocas na entrada do CT antes do último treino no Rio de Janeiro ( Foto: Flamengo )

O Flamengo viveu mais um dia de pressão nesta sexta-feira (27). Insatisfeitos com as atuações da equipe ao longo desta temporada e com o empate diante do Santa Fe na quarta-feira, pela Libertadores, alguns torcedores compareceram ao Ninho do Urubu e protestaram contra os atletas e a direção. Os torcedores penduraram faixas com os dizeres: "Premiação de que?" e "presidente banana, time pipoqueiro". Além disso, atiraram cascas de banana e pipocas na entrada do CT. Para o atacante Geuvânio, a pressão dos flamenguistas e este princípio de crise não são justificáveis.

O time treina neste sábado, no estádio Alcides Santos, noPici, antes de enfrentar o Ceará, no domingo, às 16 horas.

"Eu acho que estão criando um clima muito pesado, mas na Libertadores ainda não perdemos. Ganhamos um jogo fora e empatamos três. Nós temos condições de classificar e agora vamos jogar com o apoio da torcida. Acho que o Flamengo não está nessa crise que todos estão falando", declarou.

Desgaste

O fato é que o clima está mesmo pesado no Flamengo. A torcida já havia manifestado sua indignação com os jogadores antes do jogo contra o Santa Fe. Após o empate na Colômbia, alguns flamenguistas foram ao aeroporto recepcionar o elenco com novos protestos. Mais do que os resultados, as atuações têm os irritado.

"No vestiário, todos sabemos que temos condições de vencer os jogos. Os pontos que perdemos em casa (na Libertadores) incomodam, mas estamos vivos, lutando e vamos brigar até o último minuto para conseguir essa vaga", afirmou Geuvânio. "A gente sabe que o grupo é qualificado e tem condição de mostrar um bom desempenho. Estamos nos dedicando e trabalhando para dar a volta por cima", disse.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.