série b

Hora da reação

Com a sequência de dois jogos em casa, contra Brasil e Oeste, Leão tem a chance de reagir de derrota e ficar na ponta

00:00 · 15.06.2018
Ceni
Técnico Rogério Ceni checa com o próprio jogador das condições para que o atacante Marcinho possa jogar contra o seu ex-clube, o Brasil de Pelotas, em substituição ao meia-atacante Marlon, punido com o terceiro cartão ( Foto: Thiago Gadelha )

Líder da Série B do Campeonato Brasileiro, apesar de ter sido derrotado no último jogo, fora de casa, contra o São Bento/SP, o Fortaleza inicia uma sequência de dois jogos em casa, na Arena Castelão, quando poderá se reabilitar do insucesso anterior e ao mesmo tempo solidificar a sua posição na ponta da ta bela.

Os dois jogos, seguidos, serão hoje, às 19h15 minutos, contra o Brasil de Pelotas/RS e no dia 23/06, diante do Oeste, às 19h.

O Leão estará diante de um algoz seu, da época em que ambos ainda estavam numa divisão mais abaixo do Brasileiro e o jogo, na visão de muitos torcedores, se apresenta como uma revanche frente ao Brasil de Pelotas, a quem o Tricolor ainda não venceu em jogos oficiais.

Em 2015, ainda na Série C, o Brasil de Pelotas eliminou o Fortaleza em duas partidas pelas quartas-de-final. Em Pelotas, o Brasil venceu por 1a0 e aqui empatou em 0a0. Portanto, mais do que nunca o Tricolor necessitará derrotar um forte adversário em qualquer divisão nacional.

Para os jogadores do Leão, não existe essa situação de revanche frente aos gaúchos, pois a maioria esmagadora do elenco atual não estava na época no clube. Para se ter uma ideia, apenas o lateral-direito Tinga, que não atua hoje e o zagueiro Adalberto, estavam naquela época no Fortaleza.

“É difícil falar sobre isso, porque nós não estávamos aqui. Sei que a imprensa e a torcida é que criam essa rivalidade contra o Brasil, mas nós jogadores do elenco atual encaramos como sendo um desafio normal. Qualquer equipe que viesse jogar aqui, nós iríamos buscar a vitória a todo custo”, disse o lateral-direito Pablo, que irá substituir Tinga, lesionado na coxa.

“A gente sabe que o torcedor tem uma grande mágoa de 2015, eu fiquei sabendo, porque na época, não estava aqui. Mas, nós não vamos levar esse espírito para dentro do campo, vamos jogar normalmente e buscar a vitória como em qualquer jogo”, reforçou o lateral-esquerdo Leonan, sobre a tal revanche.

Em um detalhe, os jogadores do Fortaleza concordam: irão enfrentar um visitante indigesto, da chamada Escola Gaúcha de jogar, com marcação forte. O Brasil empatou seus dois últimos jogos fora de casa contra o CRB/AL e Oeste/SP, o que torna a partida difícil. “Sou gaúcho e sei como jogam. Teremos um jogo difícil, mas estamos focados em buscar mais uma vitória”, disse Leonan. Um aspecto importante é que o Leão tem 100% de aproveitamento em casa.

O Tricolor terá os desfalques dos laterais Tinga e Bruno Melo, do volante Derley e do meia Marlon. O artilheiro Gustavo segue como dúvida, mas não deve jogar, pois sentiu dores na coxa.

No Brasil/RS, o técnico Clemer não contará com os zagueiros Heverton e Rafael Dumas, lesionados, nem com o volante Leandro Leite e o meia Calyson. Clemer fez mistérios sobre a escalação de sua equipe.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.