coluna

Vai Encarar: o triste legado de Jones

00:00 · 28.08.2017

É difícil imaginar que Jon Jones se envolveu, novamente, em caso de doping. O maior talento do MMA perde, mais uma vez, a principal luta da sua história: para ele mesmo. Mais um triste capítulo que pode marcar o fim de uma era, já que o gancho pode ser bem maior que os anteriores (até quatro anos de suspensão).

Desafio

A cearense Viviane Sucuri terá pela frente, no dia 11 de novembro, no UFC Norfolk (EUA), talvez o maior desafio da sua carreira no MMA. Invicta, ela enfrenta a americana Tatiana Suarez, campeã do TUF 23. Chance para a integrante da equipe Dragon Kombat mostrar que merece um lugar no Top 10 da categoria peso-palha.

Frustrado

Podem falar o que quiserem de Dana White, mas ninguém pode dizer que qualquer outra pessoa no mundo deu mais chances a Jon Jones do que ele. Para quem imaginava um grande evento no fim deste ano com uma superluta contra o campeão dos pesados, Stip Miocic, no UFC 218, fica apenas o sentimento de frustração total.

Em casa

Demian Maia (39) estará de volta ao octógono e desta vez 'em casa'. O paulista foi escalado para o card do UFC São Paulo, que acontece no dia 28 de outubro, no Ginásio do Ibirapuera. Maia enfrenta o americano Colby Covington, dez anos mais jovem, e 8º colocado no ranking dos meio-médios.

Aceitou

Holly Holm, ex-campeã peso-galo do UFC, aceitou a luta contra a brasileira Cris Cyborg, pelo cinturão peso-pena, mas com uma condição: a americana exigiu uma bolsa bem maior que a habitual, por acreditar que o duelo pode valorizar ainda mais o cenário feminino do MMA.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.