Coluna

Vai encarar: Bons sonhos, Masvidal

00:00 · 15.05.2017

Se o americano Jorge Masvidal pensava que iria vencer fácil o unidimensional Demian Maia, como ele mesmo disse, vai ter que sonhar com o brasileiro por um bom tempo. Logo no início do duelo, o nº 6 dos meio-médios sequer cumprimentou o brasileiro, dando um mal exemplo de profissionalismo e achando que poderia acabar o combate a qualquer momento. Até ameaçou uma boa performance, mas o jiu-jítsu preciso de Maia prevaleceu e o paulista garantiu, com estilo, o direito de ser o próximo desafiante ao cinturão da categoria, hoje dominado por Tyron Woodley. Boa!

Decepção

Júnior Cigano não é mais o mesmo de tempos atrás. Outra vez demonstrou fragilidade ao ser atacado e não durou muito tempo em pé na frente do bombeiro Stipe Miocic. Cigano tem muita história no esporte, mas aparentou que está longe de voltar ao melhor da sua forma, quando venceu Cain Velásquez.

Baixa a bola

O mexicano Yair Rodriguez já sonhava em encarar Max Holloway antes mesmo de lutar contra o baixinho Frankie Edgar, mas a história não foi bem assim. O americano, ex-campeão dos leves, mostrou que o caminho ao top5 dos penas é bem maior do que o Pantera pensava ao dar uma verdadeira aula no octógono.

Humildade

Se Jéssica Bate Estaca não conseguiu o tão sonhado cinturão peso-palha, deu um verdadeiro exemplo de humildade ao final da luta contra a polonesa de nome difícil, Joanna Jedrzejczyk. Reconheceu que a campeã está em outro nível e disse que ainda em muito para aprender. Prometeu que vai retornar ainda mais forte.

Image-0-Artigo-2241533-1

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.