coluna

Tom Barros: Três do Nordeste

tomb

Tom Barros

tom@diariodonordeste.com.br • Colunista da editoria Jogada.

00:00 · 16.05.2018

Encerrada a quinta rodada do Campeonato Brasileiro, Série A, o que se vê, com tristeza e apreensão, é a presença de três times do Nordeste na zona de rebaixamento: Bahia (17º), Vitória (18º) e Ceará (19º). De nossa região, só o Sport de Recife situa-se na faixa intermediária (11º, 7 pontos). Preocupante a situação do Ceará. Muito preocupante. Vai pegar agora o segundo time médio e, mais uma vez, sob a pressão de ter que vencer. E vencer fora de casa, no Barradão. E vencer sob sol causticante, de 11 da manhã a uma da tarde. E se não conseguir ganhar do Vitória, terá de ganhar do Grêmio, que é o jogo seguinte. Sinceramente, um iniciar vacilante, difícil, que já provoca na torcida reações bem mais fortes.

Tempo

Disse que seria necessário um tempo para avaliar o momento atual de Juninho Piauiense e Eder Luís, que entraram na fase final do jogo passado. Mas, nas primeiras impressões, Juninho me pareceu individualista. Já Eder, no lugar de buscar a extrema, seu forte, afunilou demais. Mas vamos aguardar.

Três vezes

A zaga do Ceará, com Valdo e Luís Otávio, ou outra formação, sempre deu sinais de segurança. Mas agora se mostra indecisa demais nas bolas cruzadas (aéreas ou não). Assim o América fez fácil dois gols. E poderia ter feito mais em duas bolas que cruzaram toda a extensão da área, passando de Everson e companhia.

Recordando

Image-1-Artigo-2400265-1

06 de maio de 2008. Assim se passaram dez anos... Sala de entrevistas do Fortaleza. A partir da esquerda: Eusébio e Júnior Cearense. Detalhes: o nome de Eusébio é José Jefferson Rodrigues de Oliveira. Está com 32 anos. Jogou no Barretos no ano passado. Júnior Cearense (40 anos) encerrou a carreira de jogador. Agora é técnico.

Aperto

O técnico Marcelo Chamusca sabe que as pressões aumentarão sobremaneira a partir de agora. Se não houver vitória alvinegra, embora possam questionar a qualidade do grupo para a Série A, o peso desaba sempre sobre o treinador. Dele a responsabilidade; dele a cabeça a prêmio.

Situação

O Figueirense, próximo adversário do Fortaleza, vem de duas derrotas seguidas. Lá estão o meia Felipe Amorim (atuou no Ceará em 2014) e o atacante Maikon Leite (atuou no Ceará em 2017). O Figueirense começou bem com três vitórias seguidas, mas complicou-se nos dois últimos jogos.

Chance aberta

Image-0-Artigo-2400265-1

Quem fará agora no Fortaleza a função que era de Osvaldo? Edinho foi citado pelo técnico Ceni como um jogador que poderia, pelas características, exercitar bem esse papel. Fica uma interrogação no ar. Claro que tudo vai depender dos treinamentos. O jovem Wesley poderá ser a bola da vez. A chance está aberta.

Gratidão. O jornalista Sílvio Carlos passou 15 anos sem ir ao Castelão. Sábado passado, resolveu ir ao jogo em que o Fortaleza aplicou 3 a 0 no Goiás. Qual sua surpresa e alegria ao entrar no estádio. Motivo: foi aplaudido pela torcida. Em meio aos abraços e cumprimentos, paradas para fotos. Sílvio ficou impressionado. Prova de gratidão da torcida, pois Sílvio Carlos foi presidente do Fortaleza duas vezes. E nas duas vezes foi campeão cearense. A torcida não esquece.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.