Coluna

Tom Barros: hora da retomada tricolor

tomb

Tom Barros

tom@diariodonordeste.com.br • Colunista da editoria Jogada.

00:00 · 14.09.2018

O Fortaleza, líder, enfrenta o lanterna Sampaio Corrêa. Teoricamente é para o Fortaleza passar sem problemas. Mas no futebol as coisas não acontecem sempre assim. No tópico abaixo mostro como em casa o Sampaio perdeu seis partidas. Um tormento. Mas cabe aqui uma advertência: esse Sampaio, de tantos fracassos em casa, foi a Campinas na rodada passada e arrancou um empate da Ponte Preta em pleno Estádio Moisés Lucarelli. Por mais paradoxal que pareça, não raro jogar contra time lanterna vira tarefa tão delicada quanto enfrentar os times do G-4. É que o desespero dos possíveis deserdados os fazem brigar, usando forças buscadas só Deus sabe onde. Taí a chance para a retomada do Leão.

Tropeços em casa

Em 26 jogos, o Sampaio Corrêa ganhou apenas cinco. Em casa, no Castelão de São Luís, um rosário de derrotas. Perdeu para o CRB (2 x 3), para o Atlético-GO (2 x 3), para o Goiás (1 x 3), para o Criciúma (0 x 1), para o Guarani (0 x 2) e para o Brasil (1 x 2). Ainda em casa empatou com Paysandu, Avaí, Juventude e Vila.

Técnicos

Após a bela conquista da Copa do Nordeste, o Sampaio desonerou de vez. Mudou tanto de treinador que confundiu até os torcedores. Qual o de plantão? Passaram Francisco Diá, Roberto Fonseca, Arlindo Maracanã (interino), Paulo Roberto e agora está com Marcinho Guerreiro. Cinco técnicos.

Recordando

Image-1-Artigo-2452541-1
Década de 1960. Aloísio Linhares, goleiro do América. Foto batida no PV. Aloisio foi um dos mais notáveis goleiros do futebol cearense. Brilhou no Ceará, no América e no Ferroviário. Foi campeão pernambucano pelo Santa Cruz, onde também brilhou. Ganhou o apelido de Caravelle por seus voos espetaculares. (Acervo de Elcias Ferreira).

Amanhã

Goleiro Everton de volta ao gol do Ceará. Leandro Carvalho de volta ao ataque. A ausência de Leandro foi muito sentida no jogo contra o América em Belo Horizonte. Ele tem velocidade e aprimora as conclusões. Já ausência de Everton não foi tão sentida porque o América-MG não incomodou.

Saída da zona

Vi as combinações possíveis para o Ceará deixar a zona de rebaixamento ainda nesta rodada. Antes, porém, não deixar de cumprir primeiro a parte de que lhe toca. Aliás, ganhar em casa, pelas circunstâncias atuais, é obrigação, isso independente do resultado dos jogos dos demais concorrentes.

Gol dele

Gustavo é sempre esperança de gols. No jogo com o Sampaio pelo turno no Castelão, deu vitória do Leão, 1 a 0, gol dele. O Fortaleza jogou de camisa amarela, homenagem à Seleção Brasileira. O placar foi magro, mas o Fortaleza poderia ter vencido de forma mais ampla, pois mandou duas bolas na trave.

Curiosidades

O ex-atacante Pacoti, ídolo do Ferroviário da década de 1950, assinalou gol em dois jogos no mesmo dia 23 de setembro de 1956. Pela manhã, amistoso Ferroviário 3 x 2 Fortaleza, ele fez dois gols. À tarde, no amistoso Ferroviário 4 x 0 Porangaba, ele marcou um gol. Pacoti está muito bem de vida. /// O saudoso Gildo, eterno ídolo do Ceará, é o maior artilheiro da história do PV com 196 gols, atuando por Ceará, Seleção Cearense, Ferroviário (emprestado) e Calouros do Ar. Dados de Eugênio Fonseca.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.