Coluna

Tom Barros: em torno do G-4

tomb

Tom Barros

tom@diariodonordeste.com.br • Colunista da editoria Jogada.

00:00 · 28.09.2017

Está provado que time grande descido da Série A fica com uma vaga no G-4 da Série B no ano seguinte. O Internacional-RS, embora tenha passado por alguns contratempos, vai confirmando tal assertiva. Pela qualidade do seu elenco, estrutura e condições financeiras, certamente não perderá essa condição. Luta mesmo é a do Ceará. Embora com aportes financeiros menores, há conseguido manter-se numa faixa bem próxima do G-4, quando não dentro dele. A pequena margem que do Vozão separa o Paraná, Vila Nova e Juventude não permite tranquilidade a ninguém. A cada rodada as mudanças podem acontecer, já pela oscilação observada na maioria dos competidores. Quem for mais regular terá maiores chances.

Jogar bem

O Ceará teve bom desempenho em Recife. Só por erros de finalização a vitória não veio. E mais: com duas bolas na trave que o Ceará mandou, restou a impressão de uma noite em que a sorte parece estar decididamente de um lado só. No saldo de gols o Ceará está distante dos concorrentes.

Diferença

O Paraná tem 20 gols de saldo. O Vila Nova tem dez gols de saldo. O Ceará tem apenas seis gols de saldo. Até o Juventude, que está abaixo do Vozão, tem melhor saldo: sete gols. Ainda bem que no número de vitórias, primeiro critério de desempate, o Ceará tem apenas uma vitória a menos que Paraná e Vila Nova.

Recordando

Image-0-Artigo-2302562-1
13 de setembro de 2005. Fortaleza na Série A do Brasileirão. Foto batida há 12 anos. O goleiro Bosco, no auge da forma. Aí quando de exercícios na areia da praia. João Bosco de Freitas Chaves está com 42 anos. Jogou no Sport, Cruzeiro e Portuguesa. Passou sete anos no São Paulo (reserva de Ceni). Hoje é treinador de goleiros do Fortaleza.

Na sequência

Leandro Carvalho tem oscilado. Não foi bem em Recife. Felipe Menezes entrou fora de sintonia. Não conseguiu justificar sua participação. Já vi boas partidas de Menezes, mas desta vez ficou devendo. Pio pode render mais. Tem bola para isso. Arthur não pode perder a confiança porque desperdiçou a bola da vez.

Título

Verdade que o Fortaleza alcançou seu maior objetivo dos últimos oito anos: a ascensão para a Série B. Mas não custa nada tentar ir mais longe: ganhar o título de campeão da categoria. Aí fecharia 2017 com triunfo e estaria pronto, campeão e sem traumas, visando ao centenário do clube no próximo ano.

Justificou

Leandro Lima teve importante participação no Fortaleza na reta final da Série C, onde o tricolor garantiu a ascensão. Pelo brilho de suas jornadas no maior desafio do clube, é fácil concluir que futebol ele tinha e tem, apenas não havia encontrado ainda a perfeita adequação ao modelo tático da equipe.

O adversário

 O primeiro obstáculo que o Leão terá nesta nova empreitada é o Sampaio Corrêa. Na fase classificatória, dois jogos. No PV o Fortaleza goleou (3 x 0), gols Lúcio Flávio (2) e Pedro Carmona. Este foi o melhor jogo do atacante Lúcio Flávio. Em São Luís, o Fortaleza fo derrota (2 x 0), gols de Fernando Sobral e Hiltinho. Os elencos basicamente são os mesmos. O Sampaio Corrêa manteve Francisco Diá. O Fortaleza mudou de treinador: saiu Bonamigo, entrou Antonio Carlos Zago.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.