coluna

Tom Barros: "Defeitos de fábrica"

tomb

Tom Barros

tom@diariodonordeste.com.br • Colunista da editoria Jogada.

00:00 · 05.05.2018

Num retrospecto dos três jogos do Corinthians na Série A, destaque para Rodriguinho. Na estreia, dele os dois gols da vitória (2 x 1) sobre o Fluminense. Na goleada sobre o Paraná em Curitiba (0 x 4), um dos gols foi de Rodriguinho. Mas, nas duas derrotas recentes (uma para o Atlético-MG (1 x 0) pela Série A e a outra (1 x 2) para o Independiente pela Libertadores), Rodriguinho passou batido. De qualquer forma, ele está numa ótima fase. Se não for poupado, merece atenção. O Timão é força coletiva, ainda que com força mista. É a prática de uma produção veloz, intensa, incessante, embora, para surpresa geral, tenha vacilado nos dois últimos jogos. De certo modo, esses tropeços mostraram alguns "defeitos de fábrica".

Vaticínio

Amigos, há como que no ar a convicção de que a derrota é o destino do Ceará no Itaquerão. Ninguém acredita que o Ceará seja capaz sequer de alcançar um empate. Pior ainda: vaticinam nova goleada. Nunca vi tanto pessimismo entre os colegas e amigos. Dizem que melhor seria nem viajar.

Diferente

Não penso para baixo. Compreendo a realidade que dá o favoritismo total e absoluto ao Corinthians. Mas futebol não é jogo de cartas marcadas. O Ceará pode estar no seu dia. E assim aprontar para cima do Corinthians, contrariando a lógica das coisas. A graça do futebol está no fato de nem sempre o melhor ganhar.

Recordando

Image-1-Artigo-2396131-1

4 de maio de 2008. Assim se passaram dez anos... Comemoração do Fortaleza pela conquista do título de campeão cearense, após ganhar do Icasa no Castelão. Paulo Isidoro ergue o troféu, tendo ao lado o goleiro Tiago Cardoso (com a camisa branca Deus é Fiel). Paulo Isidoro já encerrou a carreira. Tiago está no Botafogo de São Paulo.

Obstáculo

A descrença no Ceará ocorre em razão dos insucessos iniciais. Isso ampliou o negativismo. Esquecem que o Vozão jogou com o líder domingo passado e já agora pega o vice-líder. Só pedreira. Mas esquecem também que, em sequências assim, não raro pintam resultados zebrados. Pode acontecer.

Ferrolho

Quando um time é reconhecidamente inferior, não há que se expor: fica na retranca. Ferrolho suíço que parou tantas seleções. A arma é o contra-ataque. Jogo de paciência. Como o Corinthians vem de duas derrotas, lógico que vai para cima do Ceará. A torcida fará pressão, pois não aceitará um terceiro tropeço.

Tempo ao tempo

Image-0-Artigo-2396131-1

Só no dia 12, sábado próximo, o Fortaleza voltará a campo. Receberá o Goiás no Castelão. Hoje o Goiás joga com o Vila Nova no Serra Dourada. De camarote Rogério Ceni poderá estudar seu adversário, cuidando de montar a melhor estratégia para o Leão. Tempo ao tempo para ajuste de linhas. Pode tirar o melhor proveito.

Conclusão. Não é feio jogar atrás, máxime quando nítida a diferença de força, qualidade e velocidade. Há quem tome goleada, mesmo jogando atrás. É verdade. Mas uma retranca inteligente também tem feito estragos em times favoritos. Irritar o adversário com jogo amarrado é comum. A mais famosa retranca, além de ter sido a primeira, foi a da Suíça que eliminou a Alemanha na Copa de 1938. Retranca essa que, por mais paradoxal que pareça, marcou quatro gols. E ganhou o jogo (4 x 2).

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.