coluna

Tom Barros: Animadora estreia

tomb

Tom Barros

tom@diariodonordeste.com.br • Colunista da editoria Jogada.

00:00 · 14.04.2018

O Fortaleza começou bem a sua trajetória na Série B. Desde o início teve postura mais ousada, diante de um Guarani que optou por um jogo mais fechado. Assim, as chances criadas poderiam ter dado tranquilidade desde o 1º tempo. Gustavo fez perigosas conclusões. Alan Mineiro, Alan Patrick e Tinga também fizeram perigosas finalizações. O Guarani, atrás, conseguiu ligar apenas dois contra-ataques. Um deles com Rondinelly, mas sem oferecer perigo. Na fase final, mais uma vez o Fortaleza insinuante. Por aí Tinga encontrou o caminho e fez 1 a 0. Obrigado pelas circunstâncias, o Guarani subiu e empatou com Bortoluzo. Mas Gustavo, sempre ele, cheio de graça e verdade, fez 2 a 1. Vitória justa, do melhor.

Invicto

O Ceará há conseguido bons resultados diante do Santos, desde a época em que o Rei Pelé atuava pelo time da Vila Belmiro. O Vozão nunca perdeu para o Santos com Pelé em campo. Em 1971, deu empate (0 x 0). Em 1972, vitória do Ceará 2 x 1 (Pelé marcou o gol santista). Em 1973, Ceará 2 x 0.

O Rei

Pelé fez 9 jogos contra times cearenses todos no Ceará (3 vitórias do Santos, 4 empates, duas derrotas). Contra o Fortaleza, três jogos: 2 x 2; Santos, 5 x 1; e 1 x 1. Contra o Ferrão, dois jogos: Santos 5 x 0 e 0 x 0. Contra o Guarani-J um jogo: Santos 2 x 0. E os rês jogos citados com o Ceará. Dados de Airton Fontenele.

Recordando

Recordando

Desfile do Fortaleza na solenidade de abertura do Torneio Início de 1966. Bem à frente do grupo o famoso lateral-esquerdo Carneiro. Na primeira fila, a partir da esquerda: Nivardo e Mesquita. Na segunda fila, na mesma ordem, Renato e Croinha. Observem a camisa do Fortaleza com listas verticais. (Álbum de Elcias Ferreira.

Estreia

Após seis anos na fila de espera, o Ceará volta hoje à primeira divisão do futebol brasileiro. E volta numa fase em que revela a pujança de um time com três formações, pois foi assim que encarou o certame local, do qual saiu campeão, a Copa do Brasil e ainda encara a Copa do Nordeste. Esperança de boa campanha.

Avaliação

Ouvi de companheiros algumas referências ao Ceará, as quais me levaram à reflexão. Prefiro entender que só será possível segura avaliação após alguns jogos. A tarefa inicial não será fácil, pois na fila, pela ordem, quatro monstros sagrados: Santos (hoje), São Paulo (dia 22), Flamengo (dia 29) e Corinthians (dia 6 de maio).

Ascensão

Chamusca

Marcelo Chamusca, como treinador, estreia hoje na elite nacional. Busca espaço na vitrine dos melhores do Brasil. Vem numa ascensão continuada: em 2016 subiu do Guarani-SP da "C" para a "B". Em 2017 subiu o Ceará da "B" para a Série A. Nas suas mãos a grande chance. Competência ele tem demais.

Elucubrações. A pergunta que mais tenho escutado: o Ceará, com a formação que veio da Série B, tem condições de fazer boa campanha na Série A? Situação semelhante aconteceu em 2010. Diziam que, com o time vindo da Série B, o Vozão seria saco de pancadas. Não foi. Pelo contrário, terminou a competição em 12º lugar, na frente do Atlético Mineiro (13º) e do Flamengo (14º). Além disso ganhou uma vaga na Sul-Americana. Portanto, não adianta ficar fazendo elucubrações. Aguardemos, pois.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.