Coluna

Tom Barros: A terceira força

tomb

Tom Barros

tom@diariodonordeste.com.br • Colunista da editoria Jogada.

00:00 · 11.05.2018

Houve uma época em que, diante da ascensão do Icasa, Guarani-J e Guarany-S, questionaram se o Ferroviário ainda seria a terceira força do futebol cearense. O Ferrão jamais perdeu esse lugar. As subidas efêmeras de alguns não desmontam a história coral solidificada em nove títulos estaduais e vinte vice-campeonatos. Para algum time tornar-se terceira força terá de superar tal número de conquistas. E, pelo visto, está muito difícil. Pode ser que no quesito número de torcedores o Ferrão já não tenha a mesma expressão de antigamente, se comparado aos três times citados. Mas a força não se resume no número de torcedores senão no conjunto que compreende patrimônio, títulos e torcida. E assim o Ferrão continua imbatível.

Posições

Hoje, o Guarany-S lidera a Série B cearense e tem tudo para voltar à Série A em 2019. Já o Icasa tem passado por vexames. É o sétimo colocado, na frente apenas de Esporte e Itapipoca. A propósito, é lamentável a desistência do Quixadá, que desde a década de 1960 participava das competições estaduais.

Situação coral

O Ferroviário continua na elite do futebol cearense, ou seja, na primeira divisão. Na Série D do Campeonato Brasileiro, Grupo A-4, o Ferroviário é líder. O Guarani-J é lanterna do Grupo A-6. Portanto, pelos números e referências aqui citados, é inquestionável a posição do Ferroviário como terceira força.

Recordando

Image-0-Artigo-2398280-1
Uma das boas formações do Ferroviário na década de 1960. Só os jogadores, a partir da esquerda (em pé): Jurandir, Douglas, Gomes, Roberto, Coca-Cola e Barbosa. Na mesma ordem (agachados): Lucinho, João Carlos, Facó, Edmar e Paraíba. Desse grupo, vejo vez por outra Facó, que é engenheiro e político, e Edmar, que é técnico. (Álbum de Elcias Ferreira)

Títulos

O Ferroviário foi campeão cearense em 1945, 1950, 1952, 1968, 1970, 1979, 1988, 1994 e 1995. Vice: 1940, 1942, 1946, 1947, 1949, 1951, 1953, 1955, 1969, 1963, 1967, 1980, 1981, 1982, 1983, 1989, 1996, 1998, 2003 e 2017. Fora Ceará e Fortaleza, foi o único time cearense a disputar a Série A nacional.

Seleção

O Ferroviário é o time cearense que mais teve ex-jogadores seus convocados para a Seleção Brasileira principal. Cito Zé de Melo, na década de 1960. Depois Mirandinha, Jardel e Adriano. Esses três últimos formados nas categorias de base do Ferrão. Conferi com o pesquisador Airton Fontenele.

Hoje

Jurandir Junior, atual executivo de futebol do Ferroviário, sabe de sua responsabilidade na recuperação da equipe em todos os níveis. Jurandir procura dar ao clube elevado grau de profissionalismo. Claro que ainda há dificuldades e limitações, mas a proposta começa a dar respostas positiva.

Notas & Notas

Outros nomes que passaram pelo Ferroviário e tiveram destaque: o zagueiro Celso Gavião foi campeão do Mundo de clubes pelo Porto de Portugal. Iarley foi campeão do mundo de clubes duas vezes: pelo Boca e pelo Internacional. O goleiro Clemer foi campeão do mundo de clubes pelo Internacional. O zagueiro cearense Ediglê, das bases do Ferroviário, foi campeão do mundo de clubes pelo Internacional, embora na reserva. Nasa, campeão da Libertadores pelo Vasco em 1998.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.