Coluna

Tom Barros: a ordem é somar pontos

tomb

Tom Barros

tom@diariodonordeste.com.br • Colunista da editoria Jogada.

00:00 · 10.09.2018

Pontuar sempre. Se vitória, ótimo. Quando não der para ganhar, vale o empate. Assim valeu o ponto alvinegro em Minas. O Ceará foi melhor que o América na maior parte do jogo. Calyson, em belo passe de Juninho Quixadá, desperdiçou boa chance. Resposta americana com Wesley que mandou na trave. E ficou nisso o primeiro tempo. Na fase final, novamente domínio do Ceará. Juninho criou a melhor oportunidade que Felipe Azevedo desperdiçou. Depois disso, quase nada de lance de definição. Um chute de Felipe Azevedo. Nada mais. As entradas de Arnaldo, Ricardinho e Arthur nada mudaram. Assim também as entradas de Pacheco, Lincoln e Matheusinho pelo América. Se a ordem é pontuar sempre, deu certo

Controle

O Ceará alternou momentos, ora trabalhando mais em cima, ora mais prudente. Mas em nenhum instante cedeu ao América o controle da situação. Entendo até que, com um pouquinho mais de ousadia, poderia ter conquistado a vitória. Mas um ponto, nas atuais circunstâncias, tem seu significado.

Observações

Juninho Quixadá segue sendo a lucidez. Quando ele sai, o time carece de um desenvolvimento melhor. Goleiro Diogo Silva só tomou um susto com a bola na trave. Depois, nenhum trabalho. Lisca optou pelo jogo marcado. Nada de aventuras. Problemas para ser resolvido: as bolas não chegam ao Arthur.

Recordando

Image-1-Artigo-2451090-1
9 de setembro de 2008. Assim se passaram dez anos... Gaúcho, zagueiro do Fortaleza. Seu nome completo é Márcio Rodrigo Trombetta. A foto é do dia de sua apresentação no Pici. O paranaense Gaúcho está com 38 anos de idade. Já encerrou sua carreira. Depois do Fortaleza, ele atuou no ABC, Shahrdari Tabriz do Irã, Guarany de Sobral e Asa.

Mais uma vez

A derrota do Fortaleza para o Criciúma assustou, apesar de o Leão ter jogado melhor. E foi prejudicado pelo árbitro Marielson Silva, da Bahia, que de forma injusta expulsão Igor. Chamo atenção da diretoria do Fortaleza: cito a seguir os nomes de quem prejudicou o Leão e por isso o time deixou de ganhar cinco pontos.

Erros

Em Londrina o Fortaleza teve anulado legítimo gol de Derley. Aí só empatou (1 x 1) quando deveria ter ganho. No Estádio Rei Pelé, já nos acréscimos, Iago, impedido, marcou de forma ilegal o gol da vitória do CRB (2 x 1). No Castelão, no jogo Fortaleza 2 x 2 Fortaleza, o Leão teve anulado legítimo gol de Dodô, que seria o da vitória.

Reencontro

Image-0-Artigo-2451090-1
Sábado passado, quando do lançamento da Escolinha do Magno Alves no Mandara Lanai, reencontrei a querida Carla Fernandes com quem há 15 anos apresentei o Nordeste Rural no Canal 10. Esta foto foi batida em 2008. Faz 10 anos. A partir da esquerda: jornalistas Cintia Lima (mora nos Estados Unidos), Carla Fernandes (está em outros projetos), Danielly Portela (está na TV Diário) e Mariana Sasso (outros projetos).

Cinco pontos. No jogo Londrina 1 x 1 Fortaleza, o árbitro foi Thiago Duarte Peixoto, auxiliado por Herman Brumel Vani e Fabio Rogerio Baesteiro (trio de São Paulo). No CRB 2 x 1 Fortaleza o árbitro foi Rodrigo Carvalhaes, auxiliado por Wendel Gouvea e Daniel Parro (trio do Rio de Janeiro). No jogo Fortaleza 2 x 2 Figueirense, o árbitro foi Ronei Candido Alves, auxiliado por Magno Arantes Lira e Luiz Antonio Barbosa (trio de Minas Gerais). Nesses três jogos o Leão foi prejudicado. Deixou de ganhar cinco pontos.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.