Coluna

Tom Barros: a culpa é da grade

tomb

Tom Barros

tom@diariodonordeste.com.br • Colunista da editoria Jogada.

00:00 · 04.05.2018

Velhas tardes de domingo, 16 horas, no antigo PV. Como na canção de Roberto Carlos: "Velhos tempos, belos dias. O que foi felicidade me mata agora de saudade". De certa época para cá, inventaram novos horários destinados ao futebol. Mil justificativas. Descabidas justificativas. Deixa seguir. É a vida. É a grade. É isso. É aquilo. Aí o time do Ceará terá de jogar às 11 horas da manhã em dois domingos. O primeiro, dia 6, já depois de amanhã, no Itaquerão contra o Corinthians; o segundo no dia 20 de maio, no Barradão em Salvador, contra o Vitória. Haja trabalho para o preparador físico do Ceará, Roger Gouveia, adaptar o elenco alvinegro às novas condições. Tenho que engolir. É a modernidade, amigos. Velhas tardes de domingo...

Matinais

Domingo, 11 horas da manhã era o horário da segunda sessão de cinema nos famosos cines Rex, São Luís, Moderno, Art, Jangada... Havia outras opções de lazer: "Domingo é dia, de pescaria/ Oi lá vou eu de caniço e samburá/ Maré tá cheia, fico na areia/ Porque na areia dá mais peixe que no mar".

À tarde

Futebol, domingo, 16 horas. Horário próprio. Sol já declinando. A brisa. Domingo à tarde. "Velhos tempos, belos dias". Não se trata de saudade de velhinho enjoado e chato. Não. E não. Não se trata disso. É questão de saúde mesmo. Às 11 horas da manhã nem corrida de cavalo há. Voz no deserto. Mas pelo menos uma voz.

Recordando

arte
1956. Seleção Cearense na época do Campeonato Brasileiro de Seleções. A partir da esquerda: Manuelzinho, Nozinho, Ivan Roriz, Mercy, Damasceno e Filgueiras. (Agachados): Moésio Gomes, Pacoti, Zé de Melo, Aldo e Guilherme. Detalhes: Mercy, feliz da vida, completou ontem 95 anos de idade. Pacoti está muito bem de vida.

Futuro

Como hoje estou buscando inspiração na música, lembro a cantora Simone: "Como será o amanhã?/ Responda quem puder / O que irá me acontecer?/ O meu destino será como Deus quiser". Não adianta ficar matutando sobre como será o Fortaleza se Osvaldo for embora. Será como Deus quiser.

Fragilidades

O Corinthians perdeu para o Atlético-MG e para o Independiente. Há quatro titulares contundidos: Ralf, Renê Junior, Fagner e Clayson. Mas há um garoto de 20 anos, Pedrinho, que entrou e foi o melhor. Essas duas derrotas indicam que todo time grande, por melhor que seja, tem também suas fragilidades.

Dia do cara

No lugar certo, na hora certa. O fotógrafo LC Moreira ganhou espaço no Sportv e no Fantástico em razão da foto que fez, na qual Diego, do Flamengo, em êxtase, comemora seu gol no Castelão. A foto ganhou a mídia. LC Moreira vibrou. E foi também flagrado pela TV na emoção ao ver o que tinha captado. Dia do cara. Valeu.

Notas & notas

Rogério Ceni explicou como terá de resolver o lado esquerdo com a possível saída de Osvaldo. Se der para contratar no mesmo patamar, ótimo. Se não for possível, solução interna. Wesley deve ir se preparando. /// Com os novos reforços à sua disposição, Chamusca terá de buscar a eficiência até agora inexistente. Como não há tempo para mudança radical até o jogo com o Corinthians, o negócio é simplificar o máximo possível. O Timão não é tão imbatível quanto parecia.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.