UFC Moscou

Cearense no octógono

Perto da aposentadoria, o cearense Thiago "Pitbull" Alves encara russo invicto há 18 lutas na casa do adversário

00:00 · 15.09.2018 por Irailton Menezes - Repórter
Image-0-Artigo-2453182-1
Thiago Alves faz a luta que abre o card principal do UFC Moscou, na Rússia ( FOTO: INOVA FOTOS )

Um dos atletas mais respeitados do UFC e o desejo de encerrar a carreira de lutador com chave de ouro, conquistando o maior número de vitórias possíveis. Esse é o objetivo do cearense Thiago "Pitbull" Alves, que estará em ação neste sábado (15), no UFC Moscou, na Rússia.

> Hunt e Oilenik fazem duelo principal em solo russo
 
Único representante brasileiro no evento, que tem início marcado para 11h30 (de Brasília), o "Pitbull" encara o russo Alexey Kunchenko, que está invicto há 18 lutas e fará sua estreia no Ultimate. No entanto, o cearense prefere focar no seu trabalho para conseguir a vitória. "Vejo como uma luta normal. Missão dada é missão cumprida, independente de quantas vitórias ou derrotas meu adversário tiver, eu tenho que ganhar essa luta. Estou focado na minha vitória e é isso que eu vou correr atrás", disse o lutador à reportagem.

Thiago Alves é, atualmente, o único cearense a compor o quadro de lutadores do UFC. No evento desde 2005, ele não esconde a satisfação de representar o Estado no maior evento de MMA do mundo, e dá a receita para o sucesso. "Fico orgulhoso por ser o único representante do Ceará no UFC e quero seguir mostrando a minha melhor versão. A responsabilidade sempre é lá em cima, a pressão também. É um negócio que estou envolvido e o pensamento é sempre vencer, pois esse é um esporte que não tem muita margem para erros", reforçou.

Perto do fim

Antes da luta deste sábado, Thiago Alves revelou ao Diário do Nordeste que está perto da aposentadoria. Aos 34 anos, o "Pitbull" possuí um cartel de 22 vitórias e 12 derrotas. Integrante da categoria peso-meio-médio, ele comentou sobre o momento de sua divisão, que tem o americano Tyron Woodley como atual campeão.

"Minha categoria sempre foi uma das mais competitivas do UFC. Quero terminar minha carreira do melhor jeito possível. Não vou lutar por muito tempo. Acho que tenho mais uns 2 ou 3 anos no máximo, mas a luta é minha vida. Sou abençoado demais em viver bem e fazendo o que eu amo. Então quero terminar minha carreira da melhor forma possível, com muitas vitórias", encerrou Thiago Alves, que além de lutador, também atua como técnico na American Top Team, nos EUA.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.