em pontos corridos desde 2006

Ceará tem pior campanha da história após 12 rodadas

00:00 · 15.06.2018 por Vladimir Marques - Repórter
CEARA X ATLETICO
Em 12 rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A de 2018, o Ceará não venceu nenhum jogo, empatando cinco partidas e perdendo sete ( FOTO: ALEXANDRE G )

Ao ser derrotado por 2 a 1 de virada para o Atlético/MG fora de casa na última quarta-feira pela 12ª rodada da Série A, o Ceará chegou a uma marca indesejável na história da 1ª Divisão Nacional, no momento em que o campeonato pausa para a disputa da Copa do Mundo. 

Ao somar apenas 5 pontos em 12 rodadas e sem nenhuma vitória, o clube bateu um recorde negativo, o pior início da história dos pontos corridos, quando disputado por 20 times desde 2006. Se pontuasse contra o Galo, o Vovô teria campanha melhor que o Atlético/PR de 2011 e a Portuguesa de 2013, que também tinham 5 pontos em 12 rodadas, mas venceram uma partida, portanto, realizando campanha melhor que o Ceará, já que o número de vitórias é critério de desempate. Os dois clubes citados acabaram rebaixados: o Atlético/PR com 41 pontos e a Portuguesa com 44. 

Se analisamos as campanhas dos últimos colocados até a 12ª rodada desde 2006, ou seja, em 12 edições da Série A, apenas 3 (ou 25%), conseguiram permanecer na elite para o ano seguinte: em 2007, o Náutico era o último com 7 pontos - superado pelo América/RN no saldo de gols - escapou do rebaixamento com 49 pontos. Em 2010, o Atlético/GO terminou a 12ª rodada da Série A com 8 pontos e escapou com 42. Já o Figueirense em 2014, tinha 7 pontos em 12 rodadas e permaneceu na Série A com 47 pontos.

Com 26 rodadas ainda a disputar na Série A, o Vovô precisará vencer pelo menos metade dos jogos, 13 partidas, para evitar o rebaixamento. Se vencer 13, o Vovô somaria 39 e chegaria aos 44 pontos com os 5 que tem. 

Pausa

Mas com a pausa na Série A para a Copa do Mundo, o Ceará só entrará em campo pela competição no dia 18 de julho, contra o Sport, às 19h30 no Castelão. Antes, o Alvinegro faz dois jogos com o Bahia pela Copa do Nordeste, nos dias 21 (às 21h45 no Castelão) e 26 (às 21h45 na Fonte Nova), por uma vaga na final da competição regional.

Lisca, técnico do Ceara, espera neste período que terá para treinos - o clube se reapresenta no sábado - a equipe evolua em duas valências: técnica e física, permitindo assim, reagir na competição nacional.

“Nós vamos crescer na competição. Teremos 40 dias com apenas jogos da Copa do Nordeste, era tudo que eu queria para implementar a minha linha e trabalho. O Ceará fez 43 jogos e não se preparou adequadamente para este início de Série A. Está visível. Vamos dar uma mexida no nosso plantel, precisamos qualificar. Perdemos 12 jogos e sem nenhuma vitória, teremos que nos reinventar nos próximos dois terços do campeonato, evoluindo como elenco, sendo qualificado, e também na parte física, para encarar o que a série A exige”, analisou o treinador.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.