SOLIDARIEDADE

Campanha recebe apoio do Alvinegro

00:00 · 14.09.2017
Image-0-Artigo-2296624-1
Jogadores do Ceará, diretores e membros da comissão técnica do Alvinegro receberam o artesão, transplantado, João Batista dos Santos no Castelão ( Foto: JL Rosa )

Antes de realizar seu treino na Arena Castelão, o Ceará formalizou o apoio ao Movimento Doe de Coração, campanha institucional de incentivo à doação voluntária de órgãos e tecidos da Fundação Edson Queiroz, mantenedora da Universidade de Fortaleza (Unifor).

> Vovô precisa acertar para voltar ao G4

O clube divulgará a campanha nos dias de jogos e em suas mídias sociais. Jogadores, diretores e membros da comissão técnica fizeram questão de declarar incentivo à doação de órgãos e tecidos e receberam o torcedor transplantado João Batista dos Santos, que se emocionou com a iniciativa. "Eu nasci de novo e estou vivendo esse momento. Pra mim é muito gratificante e eu peço que as pessoas repitam esse gesto de amor que salvou a minha vida e pode salvar a de várias que estão precisando", declarou o artesão, que recebeu um fígado novo.

Boa ação

O atacante Magno Alves considera que a campanha representa uma ajuda ao próximo. "Creio que é uma reflexão. Não é só por esse dia, mas cada dia a gente tem que estar refletindo, especificamente por esse caso de estar ajudando pessoas. Você está doando uma vida, um coração, um transplante, porque depois que você morre não volta mais. Então, ajude o próximo", disse.

Conscientização

O meia Ricardinho foi outro que comentou o apoio à iniciativa. "Pra mim significa muito. Amor ao próximo, ao ser humano. Você pensar na dificuldade que as outras pessoas têm e que você pode ajudar e ser vir de alguma maneira. Então a importância que a gente têm que ter em mente é saber que isso só depende de cada um de nós de fazer a nossa parte. Esse é o pensamento e é isso que a gente têm que passar para os outros porque tem muita gente que precisa", reforçou.

O movimento é projeto de cidadania e responsabilidade social da Fundação Edson Queiroz que reflete no aumento de doadores no Ceará e pretende reduzir ao máximo o tempo de espera na fila para doação a fim de constar saldo positivo, meta já alcançada, por exemplo, na fila para transplante de córneas, que se encontra zerada. Para ser doador, não precisa deixar mais nada por escrito, basta avisar à família sobre a vontade de doar.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.