PARKOUR

Arte de Saltar Obstáculos

03:29 · 30.04.2010
( )

Tido como um dos novos esportes, Parkour chega a Fortaleza, ganha adeptos e começa a ocupar espaços públicos

A aventura radical dessa semana nos levará a um safári pela Selva de Pedra fortalezense. Um esporte novo que tem feito a cabeça de muitos jovens à procura de adrenalina na superação de obstáculos naturais e arquitetônicos encontrados em qualquer lugar da cidade.

Definição

Apesar do nome, o Parkour é um esporte de fácil introdução e que promove em seus praticantes o desenvolvimento da inteligência, raciocínio rápido e tomada de decisões instantâneas, além de um condicionamento físico invejável. Tudo isso faz parte desse esporte que você vai poder conhecer agora.

O Parkour é um dos mais jovens esportes da atualidade. Talvez você nunca tenha ouvido falar, mas com certeza, alguma vez na sua vida, já precisou pular uma poça de lama ou até mesmo subir em um muro. É exatamente essa a essência da técnica: ultrapassar obstáculos que nos rodeiam cotidianamente apenas com corpo e mente.

Origem

Sua criação é atribuída a David Belle. Francês e filho de militar, ele foi apresentado pelo pai ao Méthode Naturelle, um treinamento em Educação Física baseado em movimentos corporais naturais, desenvolvido no Século XX por Georges Hébert.

Esse método acabou originando o programa de treinamento Parcours du Combattant, uma adaptação do Méthodo Naturelle, desenvolvido pelos soldados franceses durante a Guerra do Vietnã. David Belle era iniciado em ambos os métodos e, após praticar artes marciais e até ginástica, juntou todos os seus conhecimentos e criou o Parkour, um esporte que é a cara da nova juventude do mundo contemporâneo.

Para conhecermos melhor os praticantes cearenses, fomos a um dos points mais procurados para a prática do esporte, o Parque das Crianças, situado no centro da Capital.

Quem passa aos sábados pelo Parque das Crianças depois das 16 horas, se depara com uma cena no mínimo inusitada. Vários jovens reunidos saltando sobre pontes, bancos, calçadas, peitoris, escadarias, escalando paredes, e outros obstáculos.

Em vários momentos, parece que estamos em algum tipo de treinamento. Algo entre a Ginástica Olímpica e o Salto Triplo. Em outros, lembrava uma exibição de artes marciais, ninjitsu, para ser mais preciso. Alguns realmente, mais pareciam ninjas escalando muros e saltando de alturas absurdas.

Cuidados

Para praticar o Parkour, recomenda-se apenas o uso de roupas leves como calças de tactel ou moletom e um tênis, de preferência com amortecedores de impacto. Não há a necessidade da aquisição de equipamentos de alta tecnologia o que o torna bem acessível.

Os praticantes não costumam utilizar cotoveleiras, joelheiras ou qualquer outro tipo de proteção. Segundo eles, esses equipamentos limitam a amplitude dos movimentos aumentando o risco das coisas saírem erradas. E mais cedo ou mais tarde, algo vai dar errado.

É por isso que, apesar de ser um dos esportes mais democráticos do mundo, o Parkour exige de seus adeptos um condicionamento físico privilegiado. Recomenda-se antes de iniciar os treinos fazer uma avaliação com um médico.

Mas além da forma física, o praticante precisa desenvolver habilidades que vão da criatividade ao raciocínio rápido e um equilíbrio acima da média.

O traceur, como é chamado o praticante de Parkour, acaba desenvolvendo várias características tais como: o vigor e a leveza de um atleta de salto triplo, a flexibilidade de um ginasta olímpico e a sutileza de um ninja.

Os movimentos de Parkour são basicamente saltos com mudança de centro de gravidade, muitas vezes desafiando as leis da física. O praticante traça seu caminho e busca usar a criatividade para superar os obstáculos que aparecerem pela frente.

FREERUNNING
Ramificação derivada da filosofia oriental

Freerunning. Este é o nome dado a uma ramificação do Parkour. Trata-se de uma modalidade desenvolvida por outro importante nome desse esporte: Sèbastien Foucan. Segundo o qual, não precisa haver necessariamente um caminho a ser percorrido ou superado. O esporte pode ser utilizado simplesmente pela beleza de se fazer um movimento ou uma acrobacia.

Influência

É o Parkour elevado à mais pura forma de arte. Para Foucan, o Parkour está mais ligado às filosofias orientais que às práticas militares. Com movimentos baseados na autonomia e nas energias positivas, Foucan abriu espaço para que elementos da cultura contemporânea pudessem ser incorporados ao esporte tais como movimentos de break dance e como pudemos observar aqui no Ceará, com forte influência de movimentos vindos originalmente da capoeira.

Estética

Desde que Foucan propôs a inclusão de movimentos acrobáticos e ineficientes do ponto de vista do conceito de utilidade, característico do método natural e do Parkour, introduzindo elementos eminentemente estéticos, a amizade dele com David Belle foi se deteriorando até que as divergências os separaram por completo no final da década de 1990.

Todas essas características do Parkour podem ajudar a explicar porque a cada dia, mais adeptos se interessam em praticar esse esporte que surgiu na periferia de Paris. Hoje, o jovem deseja praticar atividades que combinem com seu perfil.

PRÁTICA
Técnica começa a invadir Fortaleza


Os espaços públicos de Fortaleza, aos poucos, estão sendo invadidos pelo Parkour.

De acordo com Rian Laison, praticante da modalidade, a capital cearense oferece um leque variado de opções para quem quer se aventurar no esporte. "Nos últimos meses, temos treinado bastante no Parque das Crianças ou PDC, como chamamos. Mas existem outros locais onde o esporte está sendo praticado, como é o caso dos polos de Lazer da Parangaba, na Av. Sargento Hermínio e na Praça dos Leões", conta Laison, dizendo, ainda, que a técnica ainda é vista com um pouco de preconceito por parte dos fortalezenses. "Mas, logo que as pessoas começam a ver os movimentos, o preconceito é substituído pela admiração e pela curiosidade de conhecer um pouco sobre o Parkour", diz o atleta.

Segundo o praticante, a exemplo de outros esportes, a técnica também envolve alguns riscos. "Costumo dizer que, se você não quer se machucar, deve ir jogar baralho ou dominó (risos). Com cuidado, prudência e respeitando seus limites, o Parkour pode ser praticado de forma segura e sem riscos".

OPINIÃO
Esporte reflete revolução vivida pela juventude


George Noronha
Psicólogo

O Parkour é uma espécie de reflexo da revolução que a juventude tem vivido e promovido nesses tempos de internet. Da mesma forma que qualquer um pode ter acesso à rede mundial de computadores e a toda a sua torrente de informações, o Parkour é o esporte que qualquer pessoa pode praticar, independente de condição ou classe social. É o esporte da revolução que estamos presenciando. Na escola, o jovem aprende sobre a Revolução Industrial e tantas outras que transformaram o mundo. Mas agora, esse mesmo jovem vivencia outro tipo de revolução: a do protagonismo social. Durante nossa visita, pudemos observar alguns adeptos filmando seus amigos para colocar as imagens em sites de relacionamento, produzindo seus próprios conteúdos e trocando informações com outros jovens do Brasil e do mundo. Assim sendo, o Parkour apresenta-se como um dos novos esportes que prometem redesenhar os costumes e os conceitos de uma sociedade que vive um momento de ebulição cultural onde todos começam a sentir que podem contribuir e fazer parte da mudança. Durante as quase três horas em que nossa equipe ficou no Parque das Crianças, pudemos observar vários grupos interagindo, conversando, treinando e o mais importante, transformando o mundo. Esses grupos se reúnem em clãs, cada um com seu nome, características e estilos próprios, o que os diferenciam uns dos outros, mas segundo os praticantes, todos formam uma família.


GEORGE NORONHA
ESPECIAL PARA O JOGADA

 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.