Pós-série C

2018 já começou no Tricolor

Logo depois de decidir o título brasileiro, que ficou com o CSA, Tricolor vai reformular elenco, visando nova temporada

O executivo de futebol do Fortaleza, Sérgio Papellin, conversou muito com Antônio Carlos Zago, já tratando do planejamento para o ano de 2018 ( Foto: Fernanda Siebra )
00:00 · 23.10.2017 por Ivan Bezerra - Repórter

O martírio de oito anos de Série C do Fortaleza já chegou ao fim. No último sábado, o Leão não passou do 0 a 0 com o CSA/AL, no Estádio Rei Pelé e, com isso, o Azulão ficou com o título de campeão da Série C e o Leão com o vice-campeonato. Mas, o acesso à Série B desponta como o principal legado do grupo de atletas.

> Última missão: Leão precisa da vaga na Copa do Brasil

Agora, o Tricolor vai fazer uma avaliação do seu elenco e iniciar uma reformulação com os atletas que porventura terminem o contrato ainda esse mês. Passam também pela reestruturação do clube, definir se o técnico Antônio Carlos Zago continuará para o ano de 2018. Até o presidente Luís Eduardo Girão deixou no ar a sua própria permanência ou não no cargo.

Fala por ele

Começando pela situação do presidente, o seu segundo vice, Marcello Desidério, informou que todos querem que ele permaneça: "Olha, o desejo de todos nós é a continuidade do Eduardo. Ele tem mandato até o final do ano que vem, mas só o Eduardo fala por ele e essa pergunta tem que ser feita, realmente a ele", disse Desidério. O vice ainda informou que, em caso de vacância no cargo de presidente atual, o primeiro vice, Marcelo Paz, assumiria o cargo, e Desidério seria o primeiro vice. Outro segundo vice seria eleito.

Futebol

Deixando um pouco de lado a parte administrativa, pois ainda não há uma decisão clara, há pendências também no departamento de futebol. Surge uma indefinição sobre o técnico Antônio Carlos Zago. Desidério também falou sobre o assunto, dizendo que, desde o início, havia essa ideia de permanência: "Desde quando ele veio a coisa estava conversada, faltando realmente assinar. Eu não vejo porque ele não continuar", disse Desidério.

Zago disse que tem pressa em resolver essa questão: "Não é cedo para falar sobre o que vai fazer, porque a competição terminou. Gostei do clube, da cidade, fui bem recebido aqui e quando a gente tem o carinho dos jogadores do Fortaleza, da torcida e dos dirigentes, a prioridade é ficar por aqui, mas temos que chegar a um acerto", falou.

Zago disse que há uma pendência para renovar o contrato, porque há um pedido seu em uma cláusula que não está no contrato. "Tenho pressa e o Fortaleza também, porque o clube não pode ficar sem treinador, então a gente tem que conversar e chegar a um acordo", disse ele, que estaria nos planos do Juventude/RS. Para o goleiro Marcelo Böeck, os jogadores devolveram um pouco da dignidade ao Fortaleza com o acesso e que, de forma alguma, se pode ver como algo negativo o vice-campeonato: "Esse grupo entrou para a história, não apenas pelo acesso como por chegar à final da competição. Queríamos o título, mas saímos honrosos", disse Böeck.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.