Por imigração

Venezuela acusa ONU de promover 'intervenção'

00:00 · 04.09.2018

Caracas. O governo da Venezuela acusou, ontem, funcionários da ONU de exagerarem a migração de venezuelanos para justificar uma "intervenção internacional", e responsabilizou a União Europeia pela "pior crise humanitária" no mundo. "Nos comunicamos com o secretário-geral (da ONU), António Guterres, para manifestar nossa preocupação de que funcionários de forma isolada estejam sejam usados para transformar um fluxo migratório normal em uma crise humanitária justificadora de uma intervenção", disse a vice-presidente, Delcy Rodríguez.

"Fizeram valer como próprios dados informados pelos governos de países inimigos", acrescentou a funcionária em coletiva de imprensa, acompanhada por seu irmão Jorge Rodríguez, ministro da Comunicação.

A vice-presidente não identificou os funcionários da ONU apontados, tampouco os países inimigos. Ontem, em Quito, 13 países da América Latina começaram a debater fórmulas para regularizar os migrantes que fogem da grave crise venezuelana.

"A pior crise humanitária que o mundo vive hoje é a causada pela Otan, por países da União Europeia, na África e no Oriente Médio", declarou Delcy.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.