Após acenar diálogo

Trump reinicia sanções ao Irã

00:00 · 07.08.2018
foto
Presidente dos EUA voltou a emitir sinais dúbios sobre relações entre o país dele e o Irã; acena que deseja negociar ao mesmo tempo em que aplica sanções ( Foto: AFP )
Washington/Teerã. O presidente de EUA, Donald Trump, afirmou, ontem, estar aberto a um novo acordo nuclear com o Irã, mas, ao mesmo tempo, confirmou a retomada de sanções contra Teerã, a quem acusa de desestabilizar o Oriente Médio.

“Continuo aberto a alcançar um acordo mais amplo que aborde toda a gama de atividades malignas do regime, incluindo seu programa de mísseis balísticos e seu apoio ao terrorismo”, afirmou Trump.

A primeira rodada de sanções econômicas de Washington começou hoje. Os EUA se retiraram em maio do acordo alcançado em 2015 para impedir que o Irã desenvolva uma bomba nuclear, e acertou novas sanções econômicas a fim de aplicar pressão sobre Teerã.

‘Guerra psicológica’

O convite dos EUA para novas negociações com o Irã enquanto restabelece sanções econômicas é insensato, afirmou o presidente iraniano, Hassan Rohani, ontem, denunciando uma tentativa de “guerra psicológica”. 

Washington começou a impor uma nova rodada de medidas punitivas para bloquear o acesso iraniano a divisas norte-americanas e afetar indústrias-chave, como o setor automotivo e de aviação comercial. “Se você é um inimigo e enfia uma faca em alguém e em seguida diz que quer negociar, a primeira coisa a fazer é tirar a faca”, disse Rohani em entrevista, na qual afirmou ainda que seu pais “sempre esteve aberto às negociações”. 

Contudo, “negociações com sanções não faz sentido”, acrescentou. “Como eles podem mostrar que são dignos de confiança? Voltando ao acordo”, afirmou, referindo-se ao acordo nuclear iraniano, concluído em 2015 e do qual os EUA se retiraram unilateralmente em maio. 

Antes da volta das sanções dos EUA, a moeda iraniana, o rial, já perdeu quase metade de seu valor desde o anúncio de Trump. Nos últimos dias, foram registradas manifestações esporádicas em várias cidades, assim como greves, fruto da cada vez maior insatisfação popular com o sistema político. No entanto, as duras restrições dificultam a verificação independente das publicações divulgadas nas redes sociais a esse respeito.

No dia 5 de novembro, a segunda fase de sanções proibirá as vendas de petróleo do Irã e será mais prejudicial – embora países como China, Índia e Turquia tenham dito que não vão cortar completamente suas compras da commodity.

A chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, disse que o bloco lamentam a decisão de Washington.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.