A gastar mais com defesa

Trump pressiona aliados da Otan

00:00 · 12.07.2018
Image-0-Artigo-2425638-1
Em cúpula, o dirigente estadunidense também fez críticas à Alemanha por comprar gás da Rússia ( FOTO: AFP )

Bruxelas. O presidente dos EUA, Donald Trump, elevou, ontem, a pressão sobre os seus aliados da Otan, aos quais urgiu durante uma tensa reunião de cúpula em Bruxelas a duplicar o seu compromisso em gasto militar nacional e alcançar 4% do PIB. Esse objetivo parece, por enquanto, distante, principalmente quando somente oito dos 29 países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) cumprem com o objetivo marcado em 2014 em Gales de se aproximar de 2% do PIB de gasto militar nacional em uma década, e nenhum chega aos 4%.

"O presidente sugeriu aos países que não apenas cumpram com o seu compromisso de destinar 2% de seu PIB ao gasto em Defesa, mas que o aumentem para 4%", assinalou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

O presidente dos EUA, cujo orçamento militar alcança 3,5% do PIB e cujas contribuições diretas ao orçamento da Otan representam 22% do total, "quer que os aliados dividam mais a carga e, como mínimo, cumpram com as suas obrigações", disse.

Além dos EUA, apenas quatro países europeus - Grécia, Estônia, Reino Unido e Letônia- cumprem com o objetivo de Gales. Polônia, Lituânia e Romênia podem alcançá-lo ainda este ano.

Trump criticou ainda a Alemanha por comprar gás da Rússia, inimigo número um da Otan.

"A Alemanha está prisioneira da Rússia porque recebe muito de sua energia", "pagam bilhões de dólares à Rússia e nós temos que defendê-los da Rússia", citou Trump. Por sua vez, a chanceler alemã, Angela Merkel defendeu o direito de seu país de tomar as próprias decisões.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.