Após morte

Suspenso teste de 'carro inteligente'

00:00 · 20.03.2018
Image-0-Artigo-2376853-1
Desde 2017, o Uber colocou nas ruas veículos autônomos, guiados por GPS e sensores instalados no teto ( FOTO: UBER )

San Francisco. Pela primeira vez na história, um veículo sem um motorista responsável pela direção, guiado só por um sistema de tecnologia, matou um pedestre em via pública nos EUA, divulgou, ontem, o jornal "New York Times". Uma mulher de 49 anos atravessou a rua fora da faixa de pedestre e foi atropelada. O caso ocorreu, ontem, em Tempe, no Arizona (sudeste dos EUA), envolvendo um carro operado pela Uber, que realiza testes do gênero em algumas cidades, dentro de um ambicioso projeto daquilo que seria uma revolução no setor de transportes.

A CEO da companhia, Dara Khosrowshahi, mandou suspender os testes com veículos autônomos nas cidades de Phoenix, Pittsburgh, San Francisco e Toronto. A Uber anunciou ainda que está cooperando com a polícia após o acidente.

Segundo a empresa de transporte particular, "o veículo estava no modo autônomo com um operador atrás do volante no momento da colisão". O carro "atingiu uma mulher que atravessava a rua fora da faixa de pedestres".

A vítima foi levada para o hospital, onde faleceu. A Polícia a identificou como Elaine Herzberg. Em dezembro, o Estado da Califórnia chegou a ordenar à Uber que não colocasse em circulação seus carros sem motorista até obter uma permissão oficial.

Sinal vermelho

No final do ano passado, um taxista flagrou com câmera o momento em que um "carro inteligente", sem motorista, atravessar o sinal vermelho quando uma pessoa iria atravessar a rua.

Além do Uber, outras 20 empresas, como a Google e a Tesla, também colocaram veículos sem motoristas nas ruas da Califórnia desde o ano passado.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.