NA GUATEMALA

Sobe para 65 o número de mortes em erupção vulcânica

00:00 · 05.06.2018 / atualizado às 00:28
Image-0-Artigo-2409170-1
Policiais realizaram operações de emergência após atividade registrada no Vulcão de Fogo, cuja nuvem de cinzas causou fechamento de aeroporto ( FOTO: AFP )

Antigua. Ao menos 65 pessoas morreram na Guatemala na erupção do Vulcão de Fogo, que arrasou vários povoados com uma avalanche de lama e cinza incandescente, anunciou ontem o Instituto Nacional de Ciências Forenses (Inacif).

"Até o momento, o Inacif está trabalhando 65 cadáveres", disse o diretor do organismo, Fanuel García, que colabora na identificação das vítimas da erupção, registrada no dia 3.

Pelo menos, 1,7 milhão de pessoas foi atingido, principalmente no departamento de Escuintla, uma das áreas mais afetadas pelas lavas e cinzas do vulcão. Segundo o Instituto Nacional de Sismologia, Vulcanologia, Meteorologia e Hidrologia (Insivumeh) e a Conred, a erupção lançou cinzas a 10 mil metros de altura sobre o nível do mar e atingiu 700 graus Celsius (ºC). Pelo menos, 3,2 mil pessoas foram obrigadas a deixar suas casas, e há 46 feridos.

O vulcão, de 3.763 metros de altura, fica entre os departamentos de Escuintla, Chimaltenango e Sacatepéquez, 50 km a oeste da capital. Esta segunda erupção do Vulcão Fogo foi a mais forte dos últimos anos.

Ontem, a Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovou moção de apoio à Guatemala devido à erupção do vulcão.

Emergência

A erupção acabou após 16 horas e meia de atividade, mas existe a probabilidade de uma retomada, afirmou o Instituto de Vulcanologia, que recomendou medidas de precaução.

O presidente Jimmy Morales decretou três dias de luto e estado de emergência ou calamidade em Escuintla, Sacatepéquez e Chimaltenango, mas a medida de Morales precisa ser ratificada pelo Congresso.

A chuva de cinzas provocada pelo vulcão levou à interrupção das operações no aeroporto internacional da Cidade de Guatemala. O Vulcão de Fogo registrou sua primeira erupção de 2018 em janeiro.

Em setembro de 2012, provocou a última emergência por erupção no país, o que resultou na retirada de 10 mil habitantes localizados em localidades ao sul do vulcão.

Maiores do século

2014: Japão

O vulcão Ontake despertou em 27 de setembro, surpreendendo centenas de excursionistas -60 morreram

2014: Indonésia

Na ilha de Sumatra, 16 pessoas morreram em uma erupção do vulcão Sinabung, que despertou após 400 anos de inatividade

2010: Indonésia

A erupção do vulcão Merapi causou mais de 300 mortes. Foi a maior erupção desde 1872, embora uma erupção em 1930 tenha causado mais vítimas (1.300 mortos)

2002: República Democrática do Congo

A erupção do vulcão Nyiragongo destruiu diversos bairros, e parte da infraestrutura foi carbonizada. Sua erupção mais mortífera foi em 1977 com mais de 600 mortos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.