Na Coreia do Norte

Reator pode ter sido desativado

Kim Jong-un, líder norte-coreano, dá sinais de que poderia discutir o futuro do seu programa nuclear ( Foto: AFP )
00:00 · 06.04.2018

Pyongyang. A Coreia do Norte poderia ter suspendido as operações de seu único reator atômico, segundo afirmou ontem um site especializado, na expectativa das reuniões de cúpula onde o líder Kim Jong-un tratará da possível desnuclearização de seu regime. Segundo imagens de satélite analisadas pelo site especializado na Coreia do Norte 38north, os geradores do reator experimental de 5 megawatts do Centro de Pesquisas Nucleares de Yongbyon (a 80 km de Pyongyang) não parecem mostrar qualquer atividade.

Isto poderia indicar que a unidade de fissão foi desativada, o que o regime sempre defendeu, que serve exclusivamente para gerar eletricidade, apesar das suspeitas bem fundamentadas da comunidade internacional de que ela também é usada para produzir plutônio que é reprocessado para uso em armas nucleares. Além disso, o site, ligado à Universidade Johns Hopkins, dos EUA, indica que "não há nenhuma evidência que se esteja fazendo reprocessamento de plutônio no laboratório radioquímico", em Yongbyon.

No entanto, a análise de 38north pede cautela, argumentando que a situação em Yongbyon "deveria ser vigiada de perto no futuro". A análise ocorre em um momento de expectativa em relação a duas reuniões convocadas entre Kim, e os presidentes da Coreia do Sul e dos EUA, Moon Jae-in e Donald Trump, respectivamente.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.