Foco na economia

Putin promete melhorar renda

00:00 · 08.05.2018
Putin
Putin tomou posse do quarto mandato como presidente da Rússia, durante cerimônia, ontem, no Kremlin ( Foto: AFP )

Moscou. Vladimir Putin, de 65 anos, assumiu ontem seu quarto mandato como presidente da Rússia e prometeu trabalhar em prol de uma agenda econômica que poderá, segundo ele, melhorar o padrão de vida do povo. Em uma cerimônia no Kremlin, Putin disse que a melhora econômica, após uma recessão em parte ligada a sanções internacionais, seria uma prioridade de seu próximo mandato de seis anos.

"Agora, precisamos usar todas as possibilidades existentes, primeiro de tudo para resolver questões internas urgentes de desenvolvimento, para rupturas econômicas e tecnológicas, para aumentar a competitividade nessas esferas que determinam o futuro", afirmou Putin em discurso a milhares de convidados.

"Uma nova qualidade de vida, bem-estar, segurança e saúde do povo -esse é o principal hoje", argumentou.

Putin restaurou a importância da Rússia no cenário mundial por meio de ações militares, mas tem sido criticado por esforços inadequados para diversificar a economia russa para além de sua dependência das exportações de petróleo e gás e para desenvolver o setor manufatureiro. Ele foi reeleito em março, com 77% dos votos. Putin tem sido o líder de fato da Rússia em todo o século atual. Deixou a presidência em 2008 por causa do limite de mandatos, mas foi nomeado primeiro-ministro e continuou a controlar o país, até retornar ao posto de presidente em 2012. Dmitri Medvedev foi mantido como premiê.

Já Trump parabenizou seu contraparte russo, anunciou a Casa Branca, destacando a importância da liberdade de reunião, dias após a prisão em massa de manifestantes da oposição.

"O presidente o parabeniza na expectativa de um momento em que possamos ter um bom relacionamento com a Rússia", declarou a secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders. "No entanto, os EUA acreditam que todo mundo tem o direito de ser ouvido e de se reunir pacificamente", acrescentou.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.