Tensão

Protestos em Gaza deixam 3 mortos e 117 feridos

00:00 · 09.06.2018

Khan Yunis/Jabalia. Três palestinos morreram, entre eles um adolescente, e outros 117 ficaram feridos nas respostas de Israel aos protestos ocorridos na sexta-feira (8) na fronteira com Gaza e que tiveram a participação de 10 mil pessoas.

Haytham Khalil Aljamal, de 15 anos, foi baleado na cidade de Khan Yunis, um dos cinco pontos onde acontecem os protestos, informou o porta-voz do Ministério da Saúde da Palestina, Ashraf al-Qedra. Ziad Elbarim, de 24 anos também foi atingido na mesma cidade e Imad Nabil Abu Darabi, de 26, foi ferido em Jabalia, no norte da Faixa de Gaza e não sobreviveu.

Dos 618 feridos, cinco estão em estado crítico. Desse total estão dois jornalistas: Mohammed Abed al-Baba, fotógrafo da agência France Presse, que recebeu um disparo na perna direita; e um cinegrafista da "Al-Aqsa TV", que sofreu ferimentos moderados depois de ser atingido por uma lata de gás lacrimogêneo, mas ainda não foi identificado.

Em comunicado, o Ministério da Saúde disse que os soldados estão atirando "bombas de gás" contra ambulâncias no leste da cidade de Khan Yunis e que uma delas teve a janela quebrada com o forte impacto.

Aproximadamente, 10 mil palestinos, de acordo com os organizadores e o Exército, se concentraram em cinco pontos da fronteira para participar das manifestações. Hoje é a 11ª sexta-feira em que elas acontecem.

De acordo com os organizadores, a mobilização, que hoje levou o título de "Marcha do Milhão para Jerusalém", começou no início da tarde com passeatas, pessoas queimando pneus e algumas lançando pipas incendiárias na direção de Israel. O Exército afirmou que os manifestantes queimaram pneus, arremessaram granadas, bombas caseiras, pedras e lançaram bombas incendiárias.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.