Catalunha

Premiê Rajoy pede o fim de êxodo de empresas

00:00 · 13.11.2017

Barcelona. O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, realizou ontem sua primeira visita à Catalunha desde que foi destituído o governo regional.

A visita ocorre um dia após uma manifestação em Barcelona, com cerca de 750 mil pessoas (conforme a polícia catalã), pedir a libertação de líderes independentistas da Catalunha. Dez dirigentes ligados à fracassada tentativa de separação da região estão sob prisão preventiva desde o dia 2, sob a acusação de sedição e rebelião ao descumprirem sentenças do Tribunal Constitucional que ordenavam a interrupção do processo.

Em uma reunião do Partido Popular para as eleições regionais de 21 de dezembro, o primeiro-ministro rechaçou as acusações de autoritarismo. Disse que as medidas de exceção só serão adotadas quando não houver outra via, ao explicar o artigo 155, que permitiu destituir o governo regional, dissolver o parlamento e convocar eleições.

Pesquisa divulgada pelo jornal "El País" informa que a impressão de que a independência da Catalunha é possível caiu entre os habitantes, que desaprovam (69%) a gestão da crise por Rajoy. O ex-líder destituído da Catalunha Carles Puigdemont continua em Bruxelas.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.