estudante brasileira

'País tomará providências sobre morte na Nicarágua'

00:00 · 27.07.2018

Joanesburgo/Manágua. O presidente Michel Temer, disse, ontem, que o Brasil não pode admitir a morte da estudante Raynéia Gabrielle Lima, de 31 anos, sem tomar providências a respeito. Ela vivia na Nicarágua e foi assassinada a tiros. A pernambucana cursava medicina na Universidade Americana em Manágua, capital do país.

> Assinado acordo por escritório do Brics 

"Não é possível que nós admitamos simplesmente a lamentável morte de uma brasileira, sem que tomemos providências. Providências estão sendo tomadas diariamente", disse Temer após reunião com o presidente da China, Xi Jinping, pouco antes da abertura oficial da 10ª Cúpula dos Brics, na África do Sul. "Estamos tomando todas as providências anunciadas pelo nosso embaixador e ministro das Relações Exteriores para solucionar (o caso) o mais rápido possível".

O Itamaraty cobrou explicações do presidente Daniel Ortega, alvo de uma série de protestos nos últimos meses. Os atos têm sido reprimidos por forças de segurança leais ao governo.

Embora o governo nicaraguense não divulgue dados oficiais, entidades de direitos humanos do país calculam que mais de 300 pessoas já morreram no levante popular.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.