'Clima de medo'

ONU alerta sobre caos na Nicarágua

00:00 · 30.08.2018

Nova York/Manágua O Alto Comissário para os Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas pediu à comunidade internacional que adote medidas para frear a crise na Nicarágua, que vive um "clima de medo" após meses de violenta repressão às manifestações de grupos opositores.

"A repressão e as represálias contra os manifestantes prosseguem na Nicarágua, enquanto o mundo olha para o outro lado", afirma Zeid Ra'ad Al Hussein em um comunicado, divulgado por ocasião da publicação de um relatório sobre o país.

"A violência e a impunidade dos últimos quatro meses demonstraram a fragilidade das instituições do país e do Estado de direito, o que gerou um contexto de medo e desconfiança", completou. As manifestações da oposição na Nicarágua, governada desde 2006 pelo ex-guerrilheiro sandinista Daniel Ortega, começaram em abril contra uma reforma da Previdência - mais tarde abandonada.

Violações

Os protestos na Nicarágua foram ampliadas a todo o país como uma reação à violenta repressão, que deixou mais de 300 mortos e 2.000 feridos.

Entre as violações dos direitos humanos documentadas em um relatório do Alto Comissariado estão o "uso desproporcional da força por parte da polícia, que em alguns casos terminaram em execuções extrajudiciais, os desaparecimentos forçados, as prisões arbitrárias e generalizadas, as torturas e os maus-tratos".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.