16 anos

Trump faz minuto de silêncio por atentado de 11 de setembro e deixa alerta para terroristas

Trump afirmou aos familiares das vítimas do atentato que "quando o país está unido, nenhuma força na Terra pode nos destruir"

Cerca de 3 mil pessoas foram mortas nos ataques de 11 de setembro de 2001. ( Brendan Smialowski / AFP )
15:41 · 11.09.2017
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a primeira-dama, Melania Trump, fizeram, nesta segunda-feira (11), um minuto de silêncio na Casa Branca em lembrança às vítimas dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001. A informação é da EFE.
 
No 16° aniversário dos ataques, o primeiro de Trump na Casa Branca, o governante e sua esposa participaram do minuto de silêncio às 8h46, hora local (9h46, em Brasília), para lembrar o instante em que um primeiro avião se chocou contra uma das torres do World Trade Center de Nova York, na manhã de 11 de setembro de 2001.
 
Posteriormente, durante uma cerimônia no Pentágono alusiva à data, Trump fez uma alerta para os terroristas que tentam intimidar o país, dizendo que os EUA “não podem ser ameaçados". "Aqueles que tentarem se unirão a uma comprida lista de inimigos derrotados que se atreveram a colocar à prova nossa coragem. Quando o país está unido, nenhuma força na Terra pode nos destruir", afirmou.
 
Trump disse que o "horror" do dia 11 de setembro de 2001 estará "sempre" na memória de todos. "Homens, mulheres e crianças inocentes que foram assassinados pelos terroristas, hoje uma nação inteira está com vocês", afirmou ele dirigindo-se aos familiares dos 3 mil mortos nos ataques.
 
Acompanhado pela primeira-dama, Melania Trump, e a cúpula militar americana, o presidente fez uma oferenda floral no monumento de homenagem às vítimas, construído no Pentágono.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.