na Finlândia

Trump diz que encontro com Putin é um 'bom começo'

"Creio que vamos acabar tendo uma relação extraordinária", declarou o presidente norte-americano

13:10 · 16.07.2018 / atualizado às 14:56 por FolhaPress
Trump diz que encontro com Putin é um 'bom começo'
Donald Trump e Vladimir Putin se reuniram a portas fechadas por mais de duas horas nesta sexta-feira (16) ( Foto: Yuri Kadobnov / AFP )

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta segunda-feira (16) que seu encontro com o líder russo, Vladimir Putin, foi "um bom começo".

Antes de iniciar a reunião, que se estendeu por mais de duas horas, o americano tinha dito que as relações entre Washington e Moscou nunca haviam estado piores - lançando a culpa no seu próprio país, no entanto, e não no governo de Putin.

Durante a conversa a portas fechadas, participaram apenas os intérpretes dos dois presidentes. Está previsto que eles falem à imprensa ao fim da jornada, mas ainda não há um horário concreto.

Paralelamente, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, e o ministro do Exterior russo, Sergei Lavrov, também se reuniram. 

O início desse encontro foi acompanhado de perto pelo restante do mundo. A União Europeia, por exemplo, ressente-se da proximidade entre Trump e Putin - os europeus esperavam que o americano lhes ajudassem a conter os avanços russos nas fronteiras ao leste, como na Ucrânia, algo que parece improvável.

Em vez disso, em uma mensagem publicada em uma rede social, Trump avaliou que a deterioração dos laços entre EUA e Rússia foi causada pelos "muitos anos de tolice e estupidez americana". O Ministério do Exterior russo respondeu na rede social: "Estamos de acordo", com tom sarcástico.

O presidente americano também culpou as investigações sobre os seus supostos vínculos com Putin e sobre a interferência russa nas eleições de 2016, que Trump afinal venceu.

Também preocupa a União Europeia e a Otan (a aliança militar ocidental) que Trump não tenha relacionado a deterioração das relações entre EUA e Rússia com diversas das crises diplomáticas recentes, como a anexação da Crimeia ucraniana por Putin e as posições conflitantes dos dois países sobre Síria, Irã e Coreia do Norte.

O único indício de atrito entre Trump e Putin, nesse contexto, foram os seus atrasos. O russo pousou na Finlândia já atrasado em relação ao início da cúpula, em claro desafio ao americano - em outra ocasião, Putin fez a chanceler alemã, Angela Merkel, esperar por quatro horas.

Trump revidou atrasando sua saída do hotel. Ele fez questão de esperar que Putin já estivesse no local de encontro para por fim chegar até ali.

O aperto de mãos, que durou três segundos, ocorreu com uma hora de atraso, diante da imprensa. Ali, Trump congratulou Putin pela organização da Copa do Mundo, finalizada no domingo.

"Acho que temos grandes oportunidades juntos como dois países que, francamente, não têm se dado bem nos últimos anos", disse o americano. "Creio que vamos acabar tendo uma relação extraordinária. Realmente penso que o mundo quer nos ver nos dando bem. Nós somos as duas grandes potências nucleares."

Putin disse que queria conversar, segundo a Embaixada da Rússia nos EUA, sobre "maneiras de normalizar as relações bilaterais, bem como assuntos internacionais atuais, em primeiro lugar a situação na Ucrânia, na Síria e na Península Coreana, e a luta contra o terrorismo".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.