'Javalis Selvagens'

Saiba quem são os 12 garotos e o técnico que ficaram presos em uma caverna na Tailândia

O grupo inclui um goleiro, dois defensores, quatro meio-campistas e três atacantes, além de um jogador sem posição definida e um garoto que não faz parte da equipe e estava apenas acompanhando um amigo

Os garotos têm entre 11 e 16 anos ( Foto: Handout/Royal Thai Navy/AFP )
15:11 · 10.07.2018 por Folhapress

Os 12 meninos que ficaram presos por 18 dias em uma caverna da Tailândia poderão em breve voltar a jogar pelos "Moo Pa" (javalis selvagens), a equipe de futebol da qual fazem parte. 

O resgate dos garotos, com idade entre 11 e 16 anos, e de seu assistente técnico Ekapol Chanthawong, 25, terminou nesta terça-feira (10) e todos deixaram o local em segurança. 

Leia também:

Temer comemora sucesso de resgate na Tailândia: 'foi um alívio'
Preparo e equilíbrio foram fundamentais no resgate, diz especialista
O que pode acontecer com os 12 meninos e o técnico após tantos dias presos em uma caverna
Meninos resgatados de caverna estão 'bem de saúde' e em quarentena

O grupo inclui um goleiro, dois defensores, quatro meio-campistas e três atacantes, além de um jogador sem posição definida, de acordo com o jornal britânico The Guardian, - há ainda um garoto que não faz parte da equipe e estava apenas acompanhando um amigo.

Conheça o perfil de cada um deles: 

Adul Sam-on, 14

Nascido em Mianmar, se tornou o mais conhecido dos meninos por ser o que melhor fala inglês, que teria aprendido por seu envolvimento com a igreja. Por isso, atuou como tradutor dos colegas com os primeiros mergulhadores, que eram britânicos. Adul joga como ponta-esquerda na equipe e pertence a uma minoria étnica perseguida em seu país. Por isso, se mudou para a Tailândia quando tinha sete anos.

Duganpet Promtep, 13

Atacante e capitão do time, já foi sondado por equipes da região para testes.Recebeu dos colegas o apelido de Dom.

Chanin Vibulrungruang, 11

Caçula do grupo, começou a jogar futebol aos sete anos e se juntou ao Wild Boars há três anos . Apelidado de Titan e também atacante, teria sido um dos últimos a deixar a caverna, segundo a imprensa local. Em carta a família, pediu para comer frango frito quando saísse da caverna.  

Panumas Sangdee, 13

Conhecido como Mick, joga como zagueiro e era considerado um dos mais em forma do grupo antes de entrarem na caverna.  

Somepong Jaiwong, 13

É um dos cinco do grupo que estudam na escola Mae Sai Prasitsart. Ponta-direita, recebeu o apelido de Pong. 

Mongkol Booneiam, 13 

Chamado de Mark, é aficionado por futebol e costuma usar camisetas de equipes profissionais. Torcedor do Muangthong United, um dos principais times do país, também pratica natação e ciclismo. 

Nattawut Takamrong, 14 

Em carta, pediu que a família não se preocupasse com ele. Com apelido de Tle, é atacante e está na oitava série da escola local. Em entrevista a rede de TV CNN, sua família disse que tem uma festa preparada para sua volta. 

Ekarat Wongsukchan, 14

Goleiro da equipe e apelidado de Bew, era responsável por recolher o equipamento da equipe ao fim dos treinos, de acordo com o jornal The Guardian. 

Pipat Pho, 15

Fez aniversário no dia que os garotos entraram na caverna, em 23 de junho. Apelidado de Nick, ele não faz parte dos  Wild Boars e estava acompanhando a equipe porque é amigo de Ekarat Wongsukchan. 

Prajak Sutham, 15

Note, como é conhecido, joga como goleiro e no meio-campo e também fez aniversário enquanto estava preso na caverna, no dia 1º de julho. À CNN sua avó disse ser "um milagre" o que ocorreu com o grupo. 

Pornchai Kamluang, 16

Apelidado de Tee, joga na defesa e estuda na escola Ban Pa Yang.

Peerapat Sompiangjai, 16

Outro a fazer aniversário no dia que o grupo entrou na caverna, em 23 de junho, tem o apelido de Night e joga como ponta-direita. Sua irmã prometeu a CNN fazer um novo bolo de aniversário para ele quando deixasse a caverna.  

Ekapol Chanthawong, 25

Assistente da equipe, foi encarregado pelo técnico principal de levar as crianças para o passeio que acabou com o grupo preso na caverna. Ex-monge, abriu mão de comer enquanto o grupo estava perdido para deixar mais comida para as crianças. Foi o último a ser resgatado, segundo a imprensa local. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.