conselho aos pais

Papa recomenda psiquiatria para homossexualidade detectada na infância

O pontífice ainda recomendou aos pais "em primeiro lugar, que rezem, que não condenem, que dialoguem, que deem espaço ao filho ou filha"

08:20 · 27.08.2018 / atualizado às 08:29 por AFP
Papa recomenda psiquiatria para homossexualidade detectada na infância
Associações LGBT classificaram as palavras do papa Francisco como "irresponsáveis" ( Foto: Gregorio Borgia / AFP )

O papa Francisco recomendou que os pais recorram à psiquiatria quando constatarem tendências homossexuais em seus filhos na infância, em uma entrevista coletiva no avião que o levou de volta a Roma após uma viagem à Irlanda.

Um jornalista perguntou ao pontífice o que diria aos pais que observam orientações homossexuais em seus filhos. 

"Eu diria, em primeiro lugar, que rezem, que não condenem, que dialoguem, que deem espaço ao filho ou filha", respondeu o papa. 

Também afirmou que os pais devem levar em consideração a idade da criança

"Quando é observado a partir da infância, há muito que pode ser feito por meio da psiquiatria, para ver como são as coisas. É outra coisa quando se manifesta depois dos 20 anos" disse Francisco. 

"Nunca direi que o silêncio é um remédio. Ignorar seu filho ou filha com tendências homossexuais é uma falha da paternidade ou maternidade", declarou.

Declaração criticada

Associações LGBT francesas criticaram as palavras "irresponsáveis" do papa Francisco.

"Condenamos estas declarações que fazem referência à ideia de que a homossexualidade é uma doença. Se há uma doença é esta homofobia arraigada na sociedade", disse Clémence Zamora-Cruz, porta-voz da Inter LGBT, nesta segunda-feira (26).

Suas palavras "graves e irresponsáveis incitam o ódio contra as pessoas LGBT em nossas sociedades já marcadas por altos níveis de homofobia", reagiu no Twitter a organização SOS Homofobia.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.