Vingança

"Mistura de raiva, medo e incerteza", diz Mischa Barton sobre vazamento de vídeos

A atriz de "The O.C" foi vítima de revenge porn pelo seu ex-namorado, que gravou e divulgou vídeos íntimos dela sem seu consentimento

21:18 · 31.05.2018 / atualizado às 21:20 por Estadão Conteúdo
Mischa Barton
Mischa Barton ficou famosa por seu papel na série "The O.C" ( Foto: Reprodução/Instagram )

No ano passado, veio à público que Mischa Barton foi vítima de revenge porn pelo seu ex-namorado, que gravou e divulgou vídeos íntimos dela sem seu consentimento. Em entrevista recente ao programa do Facebook The Scarlet Letter Reports, a atriz relembrou como se sentiu quando descobriu.

"Eu fiquei com medo. Eu senti muitas coisas. Era uma mistura de emoções. Eu tenho certeza que muitas mulheres que passam por algo similar, têm a mesma mistura de sentimentos de raiva, medo e incerteza", falou.

"Eu acho que é justamente nisso que as pessoas que fazem isso estão buscando, que você sinta vergonha e não lute contra. E, para ser honesta, sua cabeça fica girando e você não sabe o que fazer. Mas no fim das contas, eu fui criada para ser muito mais forte que aquilo", disse. 

E Mischa realmente lutou. Ela entrou na Justiça e acusou Jon Zacharias de filmá-la em momentos íntimos sem seu consentimento, e depois ter tentado vender as imagens. "Eu não tive escolha. Ele estava tentando conseguir dinheiro com aquilo. Ele colocou um preço de meio milhão de dólares", relembra a atriz, que ainda falou que não esperava isso dele no início. 

"Eu sentia que ele era seguro. Eu não sabia de nada até que um dos amigos dele veio e disse para mim: 'Você deveria ter cuidado com ele'. A partir deste momento, eu comecei a sentir que havia um problema", falou.

A atriz ainda disse que teve medo, e ressaltou que após o movimento #MeToo as coisas melhoraram um pouco. "Era um tabu imenso. Eu não tinha ideia do que era um pornô de vingança - era um assunto completamente estranho para mim. Eu acho que nós somos sortudas por vivermos em um tempo como esse em que, finalmente, nós podemos trazer à tona a discussão do feminismo e do empoderamento das mulheres. Há muita força nessa discussão. Nenhuma mulher deveria ter que passar por isso. É uma coisa difícil de se fazer, mas eu fico feliz de finalmente levantar minha voz", concluiu.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.