cuidados médicos

Meninos resgatados de caverna estão 'bem de saúde' e em quarentena

Os sobreviventes estão realizando exames, tomando vacinas, recebendo acompanhamento psicológico e devem permanecer internados por mais uma semana

10:29 · 10.07.2018 / atualizado às 11:44 por AFP
Meninos resgatados de caverna estão 'bem de saúde' e em quarentena
Depois do sucesso no resgate dos 12 meninos e de seu treinador, a preocupação agora é com a saúde dos sobreviventes ( Foto: ROYAL THAI NAVY / AFP )

Depois do sucesso no resgate dos doze meninos e de seu treinador, presos há duas semanas em uma caverna na Tailândia, a preocupação agora é com a saúde dos sobreviventes. Segundo as autoridades tailandesas, as oito primeiras crianças resgatadas nos dois primeiros dias de operação estão "bem de saúde", mas permanecerão hospitalizadas em quarentena, com óculos de sol para proteger os olhos e sob monitoramento psicológico. 

Em relação aos quatro garotos restantes e seu treinador de futebol, retirados da caverna nesta terça-feira (10), o estado de saúde ainda é desconhecido.

 

 

Pneumonia

Dois dos resgatados estão tomando antibióticos porque apresentam sintomas de pneumonia depois de dias nas umidade da gruta.

Mas, mesmo esses, apresentam "um estado normal", garantiu o hospital de Chiang Rai, no norte de Tailândia. As pessoas que passam muito tempo sob a terra podem sofrer problemas pulmonares. 

Exames de sangue e vacinas

"Os oito estão com boa saúde, sem febre", declarou Jesada Chokedamrongsuk, chefe do Ministério da Saúde Pública em um primeiro balanço detalhado do estado de saúde dos adolescentes que têm entre 12 e 16 anos.

Todos foram submetidos a exames radiológicos e sanguíneos. Os exames de sangue foram enviados para Bangkok e os resultados serão conhecidos em poucos dias.

Eles foram vacinados contra o tétano e contra a raiva. Embora o risco de os morcegos, vetores da doença, os terem mordido enquanto dormiam, seja muito baixo.

Todos podem andar, falar e comer e alguns até consumiram chocolate. 

No momento eles não podem comer comida picante, típica na Tailândia, porque estão com o estômago fragilizado.

Boa saúde mental

"Todos apresentam boa saúde mental", assegurou o hospital.

Vários especialistas alertaram para as possíveis consequências a longo prazo do trauma vivido e por isso o grupo conta com acompanhamento psicológico.

Óculos de sol

Os meninos estão usando óculos de sol para que seus olhos, privados de luz durante suas semanas, possam se acostumar progressivamente à luz do dia. Os problemas oculares são os mais comuns, assim como os pulmões, nos casos de sobreviventes resgatados depois de um longo período sob a terra.

Um oftalmologista examinou o primeiro grupo resgatado e descartou complicações oculares.

Risco de infecção

Eles vão permanecer hospitalizados uma semana para vigiar a eventual aparição de infecções.

Se os exames não revelarem nada perigoso, os pais "serão autorizados a se aproximar de suas camas com roupas de proteção, mantendo-se a uma distância de dois metros", indicou o médico Tosthep Bunthong em coletiva de imprensa.

As crianças estão em quarentena, mas os pais do primeiro grupo evacuado puderam vê-los pelo vidro e conversar a distância. 

Sem Copa

No entanto, os meninos não poderão viajar para final da Copa do Mundo na Rússia em 15 de julho, depois de terem recebido um convite da Fifa.

"Não podem viajar, devem permanecer no hospital durante um tempo", declarou Thongchai Lertwilairatanapong, funcionário do ministério da Saúde da Tailândia.

"É provável que assistam pela televisão", completou durante a entrevista no hospital de Chiang Rai.

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, convidou os meninos para assistir a final da Copa em uma carta divulgada no dia 6 de julho.

"Se, como todos desejamos, se reencontrarem com suas famílias nos próximos dias e sua saúde permitir que façam a viagem, a Fifa ficaria feliz de convidá-los para assistir a final do Mundial-2018", escreveu Infantino em uma carta enviada ao presidente da Federação Tailandesa de Futebol.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.