frança

Lojas na Champs-Élysées são saqueadas durante comemoração pela Copa em Paris

Cerca de 4 mil policiais foram mobilizados para realizar a segurança na capital francesa

Os autores dos saques foram dispersados por fortes doses de gás lacrimogêneo lançadas pela polícia ( Foto: Eric Feferberg / AFP )
19:29 · 15.07.2018 / atualizado às 19:41 por AFP

Cerca de 30 jovens quebraram e saquearam neste domingo (15) à noite a Drugstore Publicis, um complexo comercial na avenida Champs-Élysées, em Paris, onde milhares de pessoas festejam a vitória da França na final da Copa do Mundo.

Os jovens, alguns encapuzados, invadiram a loja da famosa avenida parisiense e, em seguida, saíram com garrafas de vinho e champanhe debaixo do braço, rindo e gravando-se nos celulares. Depois de 15 a 20 minutos, foram dispersados do lado da avenida Marceau por fortes doses de gás lacrimogêneo lançadas pela polícia. Os agentes se colocaram na entrada do estabelecimento.

Pouco depois, porém, outros 20 jovens entraram na Drugstore pelo lado da Champs-Elysées, provocando uma nova ofensiva de gás lacrimogêneo. Não muito longe, um torcedor dos Bleus repetia, aos prantos, "isso não é a festa, isso não é a festa".

Cerca de 4 mil policiais e guardas civis foram mobilizados em Paris para a final, e um longo perímetro foi estabelecido, proibindo a circulação de veículos até as 4h de segunda-feira (23h de domingo, em Brasília) no oeste e no centro da capital.

Em Lyon, no centro do país, as forças de segurança enfrentaram vários jovens em uma praça onde cerca de 20 mil pessoas assistiram à final em um telão.

A situação degenerou quando um grupo de torcedores subiu em um caminhão da polícia e as forças de segurança lançaram bombas de gás lacrimogêneo em direção aos jovens.

No nordeste da França, um menino de três anos e duas meninas de seis ficaram gravemente feridos ao serem atropelados por uma moto na praça da prefeitura em Frouard, ao norte de Nancy, durante as comemorações da vitória dos Bleus.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.