Área residencial

Explosão em depósito mata 39 civis em último bastião da oposição na Síria

Além disso, informações indicam que doze crianças morreram na detonação

21:10 · 12.08.2018 por Folhapress
Síria
A maioria dos civis mortos pertence a famílias de combatentes do Hayat ( Foto: AFP )

A explosão neste domingo (12) de um depósito de armas em uma área residencial da província síria de Idlib matou ao menos 39 civis, incluindo 12 crianças, informou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Ainda não se sabe o que causou a detonação, que também fez dois prédios desabarem.

Os Capacetes Brancos, socorristas que atuam em zonas controladas por rebeldes opositores do regime de Bashar al-Assad, se dirigiram para a área da explosão, na cidade de Sarmada. Com a ajuda de uma escavadeira, eles tentam retirar os escombros, em busca de possíveis sobreviventes -cinco pessoas haviam sido resgatadas até a conclusão desta edição.

Segundo o diretor do Observatório, Rami Abdel Rahman, o depósito pertencia a um traficante de armas que trabalhava para Hayat Tahrir Al-Sham, um grupo extremista formado pelo ex-braço sírio da Al Qaeda, que controla a maior parte da província.

A maioria dos civis mortos pertence a famílias de combatentes do Hayat, disse Rahman, acrescentando que o número de vítimas pode aumentar diante das "dezenas de pessoas ainda desaparecidas".

Após sete anos de uma guerra civil que já deixou mais de 400 mil mortos, a província de Idlib é uma das últimas da Síria que não estão sob controle de Assad. O ditador já anunciou que reconquistar essa região, perto da fronteira com a Turquia, é um de seus principais objetivos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.