Em Seu Apartamento

Estilista norte-americana Kate Spade é encontrada morta em Nova York

A designer criou bolsas e carteiras que se tornaram um clássico símbolo de status para muitas jovens americanas. A polícia americana trabalha com a hipótese de suicídio

15:54 · 05.06.2018 por AFP
Kate Spade
Após vender a marcar Kate Spade, a estilista tentou regressar ao mundo da moda em 2016 com uma nova marca de carteiras e sapatos chamada Frances Valentine ( Foto: Zack Seckler / Getty Images North America / AFP )

A estilista americana Kate Spade, fundadora de uma famosa marca multimilionária conhecida principalmente por suas carteiras e bolsas elegantes, coloridas e urbanas, foi encontrada morta nesta terça-feira (5) em seu apartamento, em Nova York, aos 55 anos.

Segundo o porta-voz da polícia em entrevista à AFP, a principal suspeita é de suicídio, já que a estilista foi encontrada enforcada com um cachecol em seu apartamento na Park Avenue, em Manhattan, e deixou uma carta.

Kate Spade começou na indústria da moda trabalhando como editora de acessórios da revista Mademoiselle, e em 1993 fundou com seu marido, o publicitário Andy Spade, uma marca alegre, com um toque retrô e nerd, que alcançou a fama.

Primeiro produziu bolsas e carteiras que se tornaram um clássico símbolo de status para muitas jovens americanas e que ganhou o mundo. Depois acrescentou às coleções uma linha de roupas, seguida de joias, perfumes, sapatos, roupas de cama e mesa e uma linha para bebês, além de itens de papelaria e presentes.

"Mais que uma estilista"

"Para muitas mulheres, comprar a primeira carteira Kate Spade foi a primeira compra que fizeram como adultas, a primeira compra de um designer", postou no Twitter a jornalista da AdWeek, Diana Pearl. "Parte o coração saber que alguém que trazia alegria a tantos sofresse tanta dor".

Chelsea Clinton, filha do ex-presidente Bill Clinton e da ex-candidata à presidência Hillary Clinton, disse que sua avó a presenteou com sua primeira carteira Kate Spade quando estava na universidade.

"Ainda a tenho", tuitou. "Guardo a família de Kate, seus amigos e seres queridos em meu coração".

A atriz Lena Dunham, criadora e protagonista da série "Girls", também expressou seu forte pesar no Twitter. "Kate Spade era mais do que uma estilista. Tinha uma linguagem visual extravagante que cativou tanto meninas de Bat Mitzvah quanto artistas", tuitou. "Também era uma parte essencial de NYC que compartilhava bondade (...) Obrigada, Kate, de uma das milhões a quem você fez mais bonita".

A estilista e seu marido venderam, em 1999, 56% de sua marca para a rede Neiman Marcus por 34 milhões de dólares, segundo a revista Forbes.

Em 2006 venderam o resto, por 59 milhões, desvinculando a estilista para sempre da marca que levava seu nome.

Kate Spade se dedicou então a criar sua filha e às obras de caridade.

Uma semana depois de comprar a totalidade da empresa, a rede Neiman Marcus vendeu a marca para Liz Claiborne por 124 milhões de dólares, incluindo as dívidas.

Em 2017 a marca Kate Spade foi comprada pela famosa grife de bolsas Coach por 2,4 bilhões de dólares, mas a estilista não recebeu nenhum centavo dessa transação, porque tinha se desfeito da totalidade de suas ações.

"Apesar de há mais de uma década Kate já não estar mais ligada à marca, ela e seu marido e sócio criativo, Andy, foram os fundadores de nossa amada marca. Sentiremos muito a falta de Kate. Nossos pensamentos estão com Andy e toda a família Spade", disse a marca Kate Spade em um comunicado. 

A estilista tentou regressar ao mundo da moda em 2016 com uma nova marca de carteiras e sapatos chamada Frances Valentine. Segundo o jornal New York Times, estava tão comprometida com a nova marca que teria mudado seu sobrenome de Spade para Valentine.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.