28 mortos

'Em Gaza não há ingênuos', diz ministro israelense para justificar matanças

"Não há inocentes na Faixa de Gaza. Todo o mundo está conectado com o Hamas", o movimento islamista que controla o território palestino situado entre Israel, Egito e o mar Mediterrâneo, afirmou Avigdor Lieberman

10:35 · 08.04.2018 / atualizado às 10:56 por Agence France-Presse
Lieberman
"Todos recebem um salário do Hamas, e todos os militantes que tentam nos desafiar e ultrapassar a fronteira são militantes do braço armado do Hamas", acrescentou Lieberman. ( AFP )

Na Faixa de Gaza, "não há ingênuuos" - declarou neste domingo o ministro israelense da Defesa, Avigdor Lieberman, ao se referir às mortes de palestinos nas últimas duas sextas-feiras, em confrontos que deixaram 28 mortos.

"Não há ingênuos na Faixa de Gaza. Todo o mundo está conectado com o Hamas", o movimento islamista que controla o território palestino situado entre Israel, Egito e o mar Mediterrâneo, afirmou o ministro na rádio pública israelense.

"Todos recebem um salário do Hamas, e todos os militantes que tentam nos desafiar e ultrapassar a fronteira são militantes do braço armado do Hamas", afirmou Lieberman.

Em 30 de março, 19 palestinos foram mortos a tiros por militares israelenses na fronteira de Israel com a Faixa de Gaza.

Em 5 de abril, os disparos dos franco-atiradores de elite israelenses mataram outros nove palestinos, entre eles um jornalista.

Ao todo, 30 palestinos morreram desde 30 de março por disparos israelenses: os 28 nos confrontos das últimas duas sextas e outros dois em outros incidentes.

Israel afirma que os soldados israelenses, que não registraram qualquer baixa, abriram fogo apenas contra palestinos que tentavam se infiltrar no território israelense e para impedir ataques.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.