"Nada novo"

Dalai Lama sabia de agressões sexuais cometidas por mestres budistas

O líder religioso tibetano fez uma visita de quatro dias à Holanda e se reuniu com vítimas de supostas agressões sexuais

20:39 · 15.09.2018 por AFP
Dalai Lama
Líder espiritual tibetano Dalai Lama está ciente desde os anos 1990 das supostas agressões sexuais cometidas por mestres budistas ( Foto: Johan Nilsson / AFP )

Dalai Lama afirmou neste sábado (15) na rede de televisão pública holandesa que está ciente desde os anos 1990 das supostas agressões sexuais cometidas por mestres budistas

O líder religioso tibetano fez uma visita de quatro dias à Holanda, onde se reuniu com as vítimas. O encontro foi realizado em resposta ao pedido de 12 delas durante uma viagem à Europa de Dalai Lama. 

"Já sabia dessas cosas, nada novo", declarou neste sábado à noite a televisão pública holandesa NOS.

Durante uma conferência de líderes budistas ocidentais em 1993 em Dharamsala, uma cidade do norte da Índia, "alguém mencionou um problema de alegações sexuais", afirmou em uma entrevista em inglês. 

"Encontramos refúgio no budismo com uma mente e um coração abertos até que nos violaram em seu nome", denunciaram as vítimas na petição, que recebeu mais de mil assinaturas. 

Vergonha ao budismo

As pessoas que comentem agressões sexuais não se preocupam com os ensinamentos do Buda, disse o líder religioso, acrescentando que os supostos culpados deveriam sentir "vergonha". 

Dalai Lama, de 83 anos, sempre denunciou esse comportamento irresponsável e contrário à ética. "Recomendei avisar aos mestres de que comportamento  semelhante é intolerável e deve cessar", explicou em sua carta enviada antes da reunião de sexta-feira. 

Há um novo encontro previsto em novembro entre todos os líderes espirituais tibetanos em Dharamsala, onde "falarão provavelmente" sobre acusações de agressões sexuais, segundo Dalai Lama. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.