operação Alianza I

Com apoio da PF, Paraguai apreende 865 toneladas de maconha

Ação da PF foi deflagrada em conjunto com a Secretaria Nacional Antidrogas e as forças armadas do Paraguai

18:23 · 21.04.2018 por Estadão Conteúdo
A Polícia Federal participou da operação Alianza I, no Paraguai, que apreendeu e incinerou 865 toneladas de maconha nas localidades de Alpasa e María Auxiliadora, no departamento de Amambay. A ação foi deflagrada na última sexta-feira, 20, em conjunto com a Secretaria Nacional Antidrogas e as forças armadas do Paraguai. A quantidade, apreendida antes de ser introduzida no mercado, é mais que o dobro do retirado de circulação pela PF (354 toneladas) no ano passado aqui no Brasil.
 
A operação teve como objetivo erradicar cultivos de maconha que abastecem os países da região e as facções criminosas no Brasil. A droga apreendida e incinerada foi avaliada em US$ 25 milhões. A PF atua no combate ao narcotráfico no Paraguai por meio de sua Coordenação Geral de Polícia de Repressão a Drogas (CGPRE), ligada a Diretoria de Combate ao Crime Organizado (DICOR), e do Oficialato de Ligação naquela país.
 
A Alianza I contou com apoio financeiro e logístico da PF e o oficial de ligação da corporação brasileira no Paraguai acompanhou toda a ação. Os investigadores se valeram de sobrevoos na região para mapear 89 lotes de cultivo da erva espalhados em uma área de 216 hectares. A estimativa divulgada é que a destruição dessas plantações resultem na retirada de 648 toneladas de maconha do mercado.
 
Os investigadores também encontraram 163 acampamentos onde a droga era processada e prensada para ser exportada. Nesses locais, as forças de segurança aprenderam outras 214 toneladas de pés cortados aguardando processamento e outras 3,3 toneladas da droga prensada- forma como é vendida. Foram apreendias também 51 prensas utilizadas para embalar a maconha.
 
Segundo a PF, a primeira fase da Operação Aliança I será retomada na semana que vem, com previsão de término para o dia 30/04.
 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.