Dia Internacional da Felicidade

Brasil é considerado o 22º país mais feliz do mundo; Noruega lidera ranking

“Estudo Mundial sobre a Felicidade” da ONU abrange seis fatores: PIB per capita, expectativa de vida saudável, apoio e liberdade social, ausência de corrupção e generosidade

17:12 · 20.03.2017 / atualizado às 18:38
Brasil ranking mundial felicidade 22° torcedor Copa do Mundo
Torcedor brasileiro na Copa do Mundo de 2014 ( Foto: Agência Brasil )

O mundo celebra nesta segunda-feira (20) o Dia Internacional da Felicidade. A data foi criada em julho de 2012 pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) e as celebrações ocorrem desde 2013. Segundo a ONU, o dia é uma forma de se reconhecer a importância da felicidade nas vidas das pessoas em todo o mundo.

Para marcar a data, o “Estudo Mundial sobre a Felicidade”, edição 2017, foi divulgado hoje em Nova York pela ONU. Trata-se de um relatório oficial, que apresenta a lista dos países mais felizes e os mais infelizes do planeta, numa pesquisa que envolveu 155 nações. O Brasil ficou na 22ª posição. As informações são da ONU News e da agência alemã DPA.

O informe combina seis fatores: PIB per capita, expectativa de vida saudável, apoio social (ter alguém em quem confiar em momentos difíceis), ausência de corrupção no governo e nas empresas, liberdade social e generosidade (medida por doações recentes).

Segundo a lista, os dez países mais felizes são, pela ordem: Noruega, Dinamarca, Islândia, Suíça, Finlândia, Holanda, Canadá, Nova Zelândia, Austrália e Suécia. No outro extremo, os dez países mais infelizes do mundo são: República Centroafricana, Burundi, Tanzânia, Síria, Ruanda, Togo, Guiné, Libéria, Sudão do Sul e Iêmen.

Metas

Em 2015, a ONU e os seus estados-membros lançaram os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que buscam acabar com a pobreza, reduzir as desigualdades e proteger o planeta.

Segundo as Nações Unidas, esses são três aspectos que podem levar ao bem-estar e à felicidade das nações.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.