incêndio

Autoridades afirmam que dos 64 mortos em shopping da Sibéria, 41 eram crianças

O presidente Vladimir Putin disse que o caso foi "uma negligência criminal"

10:49 · 27.03.2018 / atualizado às 11:00 por AFP
Autoridades afirmam que dos 64 mortos em shopping da Sibéria, 41 eram crianças
O presidente Vladimir Putin depositou flores no local da tragédia e visitou os feridos em um hospital da cidade ( Foto: Alexei Druzhinin / Sputnik / AFP )

Ao menos 41 crianças faleceram no incêndio de domingo (25) que matou 64 pessoas em um shopping center de Kemerovo, na Sibéria, uma tragédia que o presidente Vladimir Putin atribuiu à "negligência".

"Na lista de mortos estão os sobrenomes de 41 crianças", afirmou à agência Ria Novosti uma fonte dos serviços de emergência da região de Kemerovo.

De acordo com a fonte, o balanço oficial preliminar é de 64 mortos.

O presidente russo viajou nesta terça-feira (27) a Kemerovo e depositou flores no local da tragédia e respeitou um minuto de silêncio. Depois, ele visitou os feridos em um hospital da cidade.

Em uma reunião com autoridades locais e nacionais, Putin denunciou "uma negligência criminal".

"Falamos de demografia e perdemos tantas pessoas. Por quê? Por negligência criminal, por descuido", afirmou Putin durante a visita a Kemerovo, cidade da Sibéria Ocidental.

"O que aconteceu aqui não foi uma hostilidade, não foi uma explosão de metano em uma mina. As pessoas estavam aqui para relaxar. Havia crianças", completou o presidente.

De acordo com fontes oficiais, o centro comercial não respeitava as normas de segurança.

Investigadores e testemunhas afirmam que as saídas de emergência estavam trancadas e não foram ouvidos alarmes de advertência aos clientes do shopping no início do incêndio.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.