"sem perda humana"

Ataque com mísseis na Síria foi legítimo e multilateral, diz Macron

A afirmação do presidente francês é uma resposta às criticas feitas por alguns congressistas da Europa sobre a ação da França na Síria

Emmanuel Macron mencionou a revolta ao ver imagens de "crianças, mulheres que morreram por um ataque com cloro", uma arma química ( Foto: Frederick Florin / AFP )
11:25 · 17.04.2018 / atualizado às 11:35 por Estadão Conteúdo

O presidente da França, Emmanuel Macron, fez uma defesa vigorosa nesta terça-feira (17) da decisão de lançar um ataque com mísseis na Síria, em resposta a críticas da operação conjunta lançada na noite de sexta-feira (hora de Brasília) por Estados Unidos, França e Reino Unido.

Macron falou sobre o assunto no Parlamento Europeu, exaltando-se em alguns momentos. Ele mencionou a revolta ao ver imagens de "crianças, mulheres que morreram por um ataque com cloro", uma arma química. "Nós ficamos parados, defendemos os direitos [humanos] dizendo: os direitos são para nós, os princípios são para nós, e as realidades para os outros? Não, não!".

O presidente afirmou que a intervenção com mísseis foi "legítima" e realizada sob uma perspectiva multilateral. Macron ressaltou que os ataques aéreos foram especificamente voltados contra três locais de produção de armas, "sem nenhuma perda humana".

Alguns congressistas da Europa mostraram-se críticos sobre a ação da França na Síria. "Parem a guerra na Síria", diziam cartazes segurados por alguns deles, durante o discurso do presidente francês.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.