Decapitações

Arábia Saudita anuncia vagas de emprego para executores

O anúncio foi feito no site do Ministério de Serviços Civis do país e disponibiliza oito vagas para o cargo

10:18 · 19.05.2015
Execuções
As decapitações são feitas com espadas ou machados e, geralmente, acontecem em praça pública na Arábia Saudita ( Foto: Divulgação / fair.org )
Salman
O rei Salman não indicou uma reforma no judiciário da Arábia Saudita, que é conhecido por ser conservador, mas prometeu reorganizar o governo ( Reuters )

Uma oportunidade de emprego no mínimo incomum foi anunciada oficialmente pelo governo da Arábia Saudita para os moradores. O país procura por pessoas interessadas em trabalhar como executores e, ao todo, são oito vagas disponíveis. O salário não foi divulgado.

O anúncio foi feito no site do Ministério de Serviços Civis e não há nenhuma habilidade específica ou grau de instrução requerido. O método de execução utilizado na Arábia é a decapitação, através de uma espada ou machado. A pena de morte é determinada após um julgamento, que vai de acordo com a sharia, a lei islâmica.

Tráfico de drogas, contrabando de armas, assassinatos ou outros crimes violentos são passíveis de condenação à morte no país. Geralmente, a decapitação ocorre em praça pública. Outro ponto da lei islâmica indica que os ladrões devem ter as mãos amputadas, o que, no entanto, não é uma prática muito comum.

Em 2014, 88 pessoas foram executadas na Arábia Saudita e, deste número, 38 foram condenados por tráfico. Neste ano, de janeiro o mês de maio, 85 pessoas já foram condenadas e cumpriram este tipo de pena. O rei Salman, que assumiu o posto quatro meses atrás, prometeu agir de forma rápida para promover uma nova geração de funcionários no governo e já anunciou as vagas para carrasco.

Segundo um funcionário do governo local, o executor também trabalha como um guarda e em algumas localidades uma decapitação pode custar cerca de US$ 1 mil de bônus no salário.

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.