Tragédia

Acidente de trens deixa pelo menos 36 mortos e 100 feridos no Egito

Trata-se do mais letal acidente ferroviário desde a colisão, em novembro de 2013, de um trem com um ônibus no sul do Cairo

15:19 · 11.08.2017 / atualizado às 15:29 por Folhapress
acidente Egito
O acidente ocorreu na cidade de Alexandria. ( FOTO: AFP )

Ao menos 36 pessoas morreram e 123 ficaram feridas na colisão de dois trens ocorrida, nesta sexta-feira (11), na periferia da cidade de Alexandria, norte do Egito. Os números foram informados pelo vice-ministro da Saúde, Sharif Wadi, à televisão estatal.

Ainda conforme a TV, citando uma fonte do Ministério dos Transportes, a colisão teria sido causada pela parada de um dos trens na via férrea, após sofrer uma pane. O outro trem teria batido em sequência.

Em imagens exibidas pela televisão pública, um dos trens aparece parcialmente virado; um vagão, descarrilado; e membros das equipes de resgate, transportando mortos e feridos. O Ministério afirmou, por meio de nota, que a maioria dos feridos foi levada para diferentes hospitais de Alexandria.

Em estado de choque, os sobreviventes eram retirados dos vagões e colocados em cobertores dispostos ao longo de ambos os lados da via em um campo na periferia da grande cidade mediterrânea. Cerca de 25 ambulâncias foram enviadas para a área do acidente, afirmou Ahmed El-Ansari, da equipe de socorristas.

Magnitude do acidente

Trata-se do mais letal acidente ferroviário desde a colisão, em novembro de 2013, de um trem com um ônibus no sul do Cairo. O episódio deixou 27 mortos.

Em 2012, 51 passageiros morreram no choque de seu ônibus de viagem e um trem, em uma passagem de nível na província de Assiout, no centro do país.

Em 2002, o incêndio de um trem deixou 373 mortos, em um ponto 40 quilômetros ao sul do Cairo. Foi o pior acidente desse tipo na história do país e um dos mais graves no mundo nos últimos 20 anos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.