Fenômeno assola Europa

Onda de calor recorde mata três pessoas na Espanha

00:00 · 04.08.2018 / atualizado às 00:56
Image-0-Artigo-2435714-1
Em Madri, capital espanhola, moradores procuraram áreas abertas para se refrescar diante das altíssimas temperaturas de verão ( FOTO: AG. FRANCE PRESSE )

Madri. Três pessoas morreram na Espanha devido à onda de calor que está sufocando o continente europeu, onde as temperaturas chegam a 45ºC em algumas regiões. Em Barcelona, um homem de meia-idade, que segundo a mídia parecia ser sem-teto, foi encontrado desmaiado em uma rua e levado para o hospital, onde mais tarde morreu de insolação, informou a agência de defesa civil da Catalunha.

Dois outros homens também morreram pelo calor esta semana na Espanha: um operário nigeriano que tinha cerca de 40 anos e estava trabalhando na construção de uma autopista perto de Múrcia e um aposentado de 78 anos que passou mal enquanto cuidava de sua horta em Múrcia e morreu no hospital.

Na sexta-feira, a Espanha poderia viver um dos dias mais quentes do verão, com temperaturas que poderiam atingir 40 graus em Madri (centro), 42º em Sevilha e 44º em Badajoz, no sul do país, segundo a agência de meteorologia.

Portugal

Em Portugal, a temperatura atingiu o recorde de 45 graus em Alvega, 150 km ao norte de Lisboa. A onda de calor deve durar até sábado, segundo a agência meteorológica portuguesa.

Por enquanto não foram registrados incêndios significativos, mas os serviços de emergência indicaram que estavam em alerta máximo.

Holanda

Na Holanda, onde a onda de calor é a mais longa já registrada, com temperaturas que atingiram 35ºC na sexta, a escassez de água começa a afetar a população, gerando preocupação.

Suécia

Já a Suécia registra seu mês de julho mais quente em mais de 250 anos, com secas e altas temperaturas que favorecem os incêndios no país, inclusive até o Círculo Polar Ártico. Um geleira na montanha de Kebnekaise derreteu tanto que deixou de ser o ponto mais alto do país.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.