Aponta estudo INTERNACIONAL

Obesidade infantil tem fator familiar

00:00 · 30.07.2018
Image-0-Artigo-2433117-1
Pesquisa da Universidade de Harvard comprovou que filhos de pais saudáveis são 75% menos propensos a sofrer com excesso de peso ( Foto: Folhapress )

Cambridge/São Paulo. Um estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, comprovou que filhos de pais saudáveis são 75% menos propensos a sofrer com excesso de peso ao longo da vida. No dia a dia, no entanto, isso pode não ser tão simples, conforme especialistas.

"Claro que o modelo alimentar aprendido pelas crianças passa pelos pais. Mas não adianta afirmar que é preciso comer salada se, em casa, só há cheeseburger. Além disso, a criança tem outras influências, que podem vir dos avós, da escola e até de propagandas. Juntando essas variáveis, nem sempre os pais saudáveis terão filhos que comem bem", afirma a neuropsicóloga Deborah Moss.

"É muito importante dar boas opções às crianças. Não adianta oferecer uma bolacha recheada e uma maçã. O doce sempre ganha. Melhor se a escolha for entre uma maçã e uma pera", destaca Deborah.

A empresária Karol Azevedo, 35, e o marido Amilcar Azevedo, 34, sempre foram preocupados em comer bem. "A gente não tinha oportunidade de se alimentar de forma tão saudável", lembra Karol. Mas, com a chegada dos filhos, tudo mudou.

"Quando o Bernardo nasceu, a minha maior alegria era cozinhar para ele. Passava no mercado, comprava os ingredientes, fazia sopinhas para diversos dias e congelava", conta Azevedo.

A neuropsicóloga Deborah fala, ainda, sobre a relação da comida com tédio e com momentos de lazer. "Na maioria das famílias, tudo o que envolve afeto e lazer tem comida envolvida. Hoje tem visita em casa, então é preciso comprar um doce. Não deve ser assim o tempo todo".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.