Atividade sísmica na indonésia

Novo tremor leva pânico à ilha que já soma 319 mortos

00:00 · 10.08.2018
Image-0-Artigo-2438155-1
Abalo e suas réplicas causaram cenas de destruição em Lombok. Até 270 mil pessoas estão desabrigadas ( FOTO: AFP )

Lombok. Um violento tremor secundário de magnitude 5,9 sacudiu, ontem, a ilha indonésia de Lombok, onde os socorristas continuavam ajudando as vítimas do devastador terremoto de 6,9 registrado há quatro dias e que deixou 319 mortos, aponta um novo balanço oficial.

"Além dos mortos, ao menos 1.500 pessoas ficaram gravemente feridas, e 270 mil foram evacuadas", declarou o ministro da Segurança indonésia, Wiranto, que, como muitas pessoas neste país, usa apenas um nome.

O balanço de mortos dobrou, já que o anterior era de 164.

Desde domingo, foram registradas ao menos 355 réplicas de diferentes magnitudes, informou o porta-voz da agência de gestão de catástrofes, Sutopo Purwo Nugroho. A réplica de ontem de longe a mais forte e causou novas cenas de pânico.

As pessoas evacuadas depois do terremoto de domingo e alojadas em abrigos improvisados saíram às ruas gritando, enquanto as paredes de vários prédios desabavam. "Estávamos bloqueados no trânsito levando ajuda para os necessitados e, de repente, foi como se nosso carro recebesse uma batida por trás, muito forte", contou Sri Laksmi.

As equipes de socorro ainda não conseguiram chegar a alguns pontos da ilha próximos ao epicentro, devido às dificuldades do terreno.

Balanço de vítimas

As estradas da ilha estão muito danificadas por causa do terremoto ocorrido no norte e no leste de Lombok, longe das zonas turísticas.

"Continuamos esperando informações sobre a situação nas zonas mais afetadas do norte da Ilha, mas está claro que o tremor de domingo foi particularmente devastador", declarou o diretor da equipe da Cruz Vermelha em Lombok, Christopher Rassi, em um comunicado.

"Na quarta, fui a alguns povoados que estão completamente destruídos", acrescentou.

Milhares de casas, lojas e mesquitas foram danificadas pelo terremoto do último domingo, que ocorreu durante a oração da tarde no país muçulmano mais populoso do mundo.

Na mesquita da localidade de Lading Lading, foram retirados três corpos, e um sobrevivente foi resgatado. Com a ajuda de escavadeiras, os socorristas prosseguem em busca de pessoas soterradas. A Cruz Vermelha disponibilizou dez clínicas ambulantes no norte da ilha, a zona mais afetada, para ajudar as vítimas.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.