Marcha

Nicarágua pede liberdade de presos

00:00 · 16.08.2018

Manágua. Milhares de pessoas marcharam, ontem, em Manágua, para pedir a liberdade dos detidos durante os protestos contra o governo, que deixaram mais de 300 mortos e 2.000 feridos desde abril.

"Liberdade, chega de presos", "Justiça", "Povo, una-se", gritavam os manifestantes segurando fotos dos detidos e bandeiras da Nicarágua.

A caminhada de 4,5 quilômetros no setor leste de Manágua foi convocada pela Aliança Cívica (organismos da sociedade civil) e apoiada por sindicatos empresariais, que chamaram seus filiados e funcionários para se juntarem à iniciativa.

A multidão avançava a passos rápidos pelos chamados bairros orientais, outrora redutos sandinistas contra a ditadura de Anastasio Somoza em 1979 e recentemente reprimidos no contexto dos protestos contra o presidente Daniel Ortega. Muitos dos participantes estavam com o rosto coberto por medo de represálias. "Vá embora, vá embora", gritavam os presentes, exigindo a saída de Ortega e da esposa, a vice-presidente Rosario Murillo, acusados de corrupção, nepotismo e de instaurar uma ditadura.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.